Sociedade

EasyJet escolhe Áustria para criar base na União Europeia

Depois da decisão dos britânicos de sair da UE, a easyJet fez saber que procurava obter um certificado de transporte aéreo noutro país da UE para poder continuar a explorar linhas europeias, e Portugal chegou a ser apontado como uma opção

EasyJet escolhe Áustria para criar base na União Europeia

© DR

A companhia aérea 'low cost' britânica easyJet vai criar uma base na Áustria para operar como companhia comunitária, para evitar eventuais problemas depois da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), foi hoje anunciado.

Segundo a agência de notícias austríaca APA, a easyJet pediu às autoridades austríacas uma licença para poder operar como companhia aérea comunitária a partir de Viena.

Logo que foi conhecida a decisão dos britânicos de sair da UE, no referendo de 23 de junho de 2016, a easyJet fez saber que procurava obter um certificado de transporte aéreo em outro país da UE para poder continuar a explorar sem constragimentos as linhas europeias e Portugal chegou a ser apontado como uma opção.

Thomas Haagensen, responsável do negócio da easyJet na Alemanha, Áustria e Suíça, explicou em declarações à APA que o objetivo da transportadora britânica é assegurar todos os direitos do mercado europeu depois do 'Brexit'.

Segundo o direito comunitário, uma transportadora aérea com licença num Estado membro tem a liberdade de voar para qualquer destino dentro da UE.

Numa primeira reação, o chanceler federal austríaco, Christian Kern, mostrou-se muito satisfeito com a decisão da easyJet, uma companhia aérea com mais de 250 aviões, cerca de 11.000 empregados e 78 milhões de passageiros transportados.

"É uma notícia maravilhosa para a Áustria. Alegra-me muito que a easyJet tenha escolhido o nosso país. Na concorrência com outros 27 países europeus impôs-se a qualidade do país e os baixos impostos", afirmou Kern, segundo a APA.

"Não ganhou o mais barato mas o melhor", sublinhou o chanceler social-democrata, que está em campanha para as eleições gerais antecipadas de 15 de outubro.

Viena será a terceira sede da easyJet na Europa, juntamente com as já existentes de Londres e Zurique (Suíça).

Segundo a APA, a partir de Viena será coordenado o trabalho de cerca de 4.000 empregados e 100 aviões, enquanto a partir de Londres serão controlados 6.000 empregados e 140 aviões e a partir de Zurique cerca de mil empregados e 25 aviões.


LUSA