Sociedade

Funchal paga a fornecedores em 15 dias para ajudar empresários

A Câmara do Funchal começou a efetuar os pagamentos aos fornecedores no prazo máximo de 15 dias, tendo regularizado 5,9 milhões de euros em março, visando apoiar os empresários do concelho, anunciou hoje a autarquia.

Funchal paga a fornecedores em 15 dias para ajudar empresários

© DR

Em comunicado, a principal autarquia da Madeira realça que esta medida começou a ser aplicada em março e que vai “prolongar-se nos próximos meses, no âmbito do pacote de salvaguarda económica aos empresários do concelho”, devido à pandemia da Covid-19.

“A Câmara Municipal do Funchal pagou 5,9 milhões de euros aos seus fornecedores, quando no mês homólogo do ano passado os pagamentos foram de 4,4 milhões de euros”, realça do presidente do município, Miguel Silva Gouveia.

Segundo o autarca, eleito pela coligação Confiança (PS/BE/PDR/Nós, Cidadãos!), “estes números refletem de forma concreta o esforço feito nestas últimas semanas, de modo a honrar os compromissos com os parceiros comerciais e de garantir a maior liquidez possível”.

Para o presidente da autarquia, esta é uma medida “essencial nesta fase", "para que os empresários possam pagar os salários aos seus colaboradores”, motivo pelo qual a medida terá "seguimento nos próximos meses".

Miguel Silva Gouveia destacou que na última prestação de contas da Câmara do Funchal, aprovada no ano passado, "a dívida a fornecedores já se situava num mínimo histórico, sendo a mais baixa do último quarto de século no concelho”.

O autarca sublinha que desde que o atual executivo municipal começou a governar o concelho, em 2013, “o prazo médio de pagamento a fornecedores baixou para menos de metade, situando-se, em 2019, em cerca de três meses”.

“Vamos, agora, mais longe com esta medida extraordinária, pagando os serviços que nos são prestados com toda a prontidão que estiver ao nosso alcance", acrescenta.

O novo Coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 828 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 41 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 165 mil são considerados curados.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 187 mortes, mais 27 do que na véspera, e 8.251 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 808 em relação a terça-feira.

De acordo com dados revelados terça-feira pelo Instituto da Administração de Saúde (Iasaúde), a Região Autónoma da Madeira registava mais dois casos de Covid-19 do que no dia anterior - um no Funchal, outro no Porto Santo -, elevando para 42 o número total de infetados no arquipélago.

C/Lusa