Sociedade

Há mais de 60 anos que não chovia tanto nas serras do Funchal

Nas últimas 24 horas, no Areeiro, a precipitação foi superior à registada no dia 20 de fevereiro de 2010. Cinco dias de grande instabilidade, com rajadas de vento de 120 kms/hora e mais de 40 mil raios.

Há mais de 60 anos que não chovia tanto nas serras do Funchal
Os madeirenses já não se recordavam de tantos dias de chuva, com tanta intensidade. 

Nas últimas 24 horas, as estações do Areeiro (452 mm), Bica da Cana (268 mm), Monte (245 mm), Pico Alto (242 mm) e São Vicente (259 mm) registaram indicadores recorde de pluviosidade.

De acordo com a delegação na Madeira do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, “os critérios relativos à classificação da intensidade das diferentes formas de precipitação líquida, considera-se um aguaceiro violento quando a precipitação é maior que 50 mm/hora.

Assim, o valor registado ontem entre as 19:00 e as 19:10 UTC (19,1 mm), corresponde ao valor de 114,6 mm/hora, pelo que facilmente podemos inferir que se tratou de um aguaceiro violentíssimo”.

É preciso recuar a 22 de fevereiro de 1956 para encontrar nos registos do Observatório Meteorológico do Funchal valores superiores. Nesse dia no a estação do Areeiro registou 40 mm em 10 minutos e 240 mm numa hora.

Tendo como referência a tragédia de 20 de fevereiro de 2010, os maiores valores foram no Areeiro (15,4 mm em 19 minutos e 92,4 mm numa hora), com o Funchal a registar então 11,0 mm em 10 minutos e 66,0 mm numa hora, portanto, bem abaixo do valor que foi registado ontem.


O vento também causou estragos em alguns pontos da ilha. Mas foi no aeroporto que se registou a maior rajada; 122 kms /hora. Vento que se fez sentir com grande intensidade no Areeiro (118), Lombo da Terça (109), Ponta do Pargo (107) e Porto Santo (70).