Sociedade

Liga contra movimento ilegal (vídeo)

O Núcleo Regional da Liga dos Combatentes demarca-se e repudia a ação do movimento dos militares madeirenses que serviram no Ultramar. Bernardino Laureano acusa-os de usar o nome da liga em proveito próprio e de colocar em causa a saúde publica, com a promoção de encontros.

O Núcleo Regional da Liga dos Combatentes acusa o movimento dos militares madeirenses que serviram no Ultramar, criado em maio de 2018 pelo padre e capelão reformado António Simões de ser um movimento ilegal de tendência separatista, oportunista e explorador dos combatentes.

Em causa o uso indevido do nome da liga para obter dividendos e desenvolver atividades