Ouvir
A Ronda da Noite
Em Direto
A Ronda da Noite Luís Caetano

Concertos

Ensemble MPMP | 31 Janeiro | 19h00

Museu Nacional de Arte Antiga

|

Ensemble MPMP | 31 Janeiro | 19h00 Ensemble MPMP | 31 Janeiro | 19h00

© Jorge Carmona / Antena 2


Temporada Concertos Antena 2

31 Janeiro | 19h00

Transmissão direta
a partir do Auditório do 
Museu Nacional de Arte Antiga
Entrada Livre


Ensemble MPMP

Daniel Bolito, violino I
Sara Llano, violino II
Leonor Fleming, violeta
Nuno Cardoso, violoncelo


Programa

Contemporaneidades

Carlos Marecos Música p/ um palácio

Ruy Coelho Quarteto Nº 1
Allegro tranquilo
Andante molto calmo
Scherzo: Vivo - Tranquillo - Agitato - Tranquillo - Vivo
Finale: Allegro deciso - Presto - Allegro deciso - Presto

Eugénio Rodrigues Mata Hari




No âmbito do ciclo Contemporaneidades com apoio da Direcção-geral das Artes, o MPMP Património Musical Vivo propõe a reescuta de repertório camerístico de compositores portugueses contemporâneos. 
Neste concerto, o quarteto de arcos do Ensemble MPMP revisita Música para um palácio, obra encomendada a Carlos Marecos especificamente para um concerto realizado no Palácio de Seteais, em Sintra, em 2019. A partitura evoca com nostalgia os diferentes espaços daquele monumento e da sua natureza circundante, através de uma sequência de ambientes sonoros (como se de "fotografias" se tratassem) a partir das memórias que o compositor guardava daquele local. 
Num outro registo, não menos relacionável com certo brilho de salões palacianos, a obra de Eugénio Rodrigues evoca a bailarina exótica e cortesã Mata Hari, conhecida também por ter sido acusada de espionagem, explorando em particular o imaginário da dança erótica através de uma sofisticada linguagem pós-minimalista. Escrita em 1992 e distinguida com o 1.º Prémio do Washington International Competition, foi então interpretada pelo Arditti Quartet. 
Entre uma e outra obra, o Ensemble MPMP apresenta em estreia moderna, no contexto da preparação da edição revista da partitura e da sua posterior estreia discográfica, o primeiro quarteto de arcos de Ruy Coelho, composto em 1941 e, tanto quanto se sabe, nunca mais interpretado desde a sua estreia. Na década anterior, o compositor mostrara-se permeável aos recursos emprestados pela politonalidade francesa, colorindo esta música vibrante de dissonâncias inesperadas (ma non troppo) e esforçando-se, nela, por explorar a sua ideia particular de "peninsularidade" e a sua vontade de imaginação de um dado folclore imaginário.




Transmissão direta
Apresentação: Pedro Ramos
Produção: Anabela Luís, Cristina do Carmo



MPMP Património Musical Vivo é uma plataforma fundada em 2010 que se dedica à divulgação da música de compositores portugueses, tendo promovido já cerca de cinco centenas de espectáculos e dezenas de projetos editorais. Uma outra forma de escutar os repertórios tradicionais, a estreia moderna de uma obra esquecida ou a encomenda de novas experiências artísticas a jovens criadores tem também levado a sua equipa alargada a promover centenas de espectáculos em Portugal e no estrangeiro. 
Enquanto agrupamento de geometria variável, da música de câmara à coral-sinfónica, o MPMP tem marcado presença nos festivais Música em São Roque, Dias da Música e Prémio Jovens Músicos, destacando-se também três digressões ao Brasil e a produção de várias óperas. 
O MPMP Património Musical Vivo foi distinguido com imprescindíveis apoios de entidades como a Direcção-geral das Artes, a Fundação GDA ou a Sociedade Portuguesa de Autores. Em 2018 foi-lhe atribuído o Prémio de Música Sequeira Costa pela Fundação Mirpuri. 
O seu quarteto de arcos gravou já um disco monográfico de Eurico Carrapatoso para a colecção 'melographia portugueza' e, no Brasil, apresentou obras raramente escutadas de Luiz de Freitas Branco e de João Pedro de Almeida Mota no Real Gabinete Português de Leitura.



Daniel Bolito | Iniciou os estudos musicais aos oito anos na Escola de Música Nossa Senhora do Cabo (EMNSC), onde estudou com Paula Fernandes. No ano lectivo de 2000/2001 ingressou na Academia de Música de Santa Cecília (AMSC), onde estudou com Lígia Soares, e onde concluiu o 8º grau. No ano lectivo de 2004/2005 ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), onde estudou com Khatchatour Amirkhanian. Paralelamente, continou a frequentar a Academia de Música de Santa Cecília (AMSC) na classe de Lígia Soares, em regime livre. No ano lectivo de 2007/2008 ingressou na Universidade de Évora (UE) na classe de Valentim Stefanov, na qual finalizou um ano de pós-graduação com a classificação de 20 valores.
O seu trabalho em orquestra iniciou-se desde cedo tal como o desempenho da função Concertino, cargo que ocupou em várias orquestras tais como a Orquestra Sinfónica Juvenil, Orquestra da Universidade de Évora e a Orquestra de Câmara Portuguesa.
Na Orquestra da Universidade de Évora, para além da função de concertino esteve também encarregue da disciplina de ensaios de naipes de cordas.
É membro regular da Orquestra de Câmara Portuguesa, dirigida por Pedro Carneiro, na qual tem desempenhado regularmente, para além do papel de concertino, outros papéis como concertino assistente e também concertino auxiliar. Com esta apresentou-se em vários festivais tais como City of London Festival em Londres, no também já conceituado festival Dias da Música no CCB, no festival de Alcobaça Cistermúsica, entre outros. Colaborou também recentemente com a OCPzero.
Já se apresentou a solo diversas vezes com orquestra ou com piano em locais como a Aula Magna, Grande Auditório do CCB, Salão Nobre do Teatro Nacional de S. Carlos, Teatro Camões, Europarque em Santa Maria da Feira, Grande Auditório da Reitoria da Universidade de Aveiro, Teatro Aberto, Teatro-Cine Torres Vedras, entre muitos outros. Alguns destes, transmitidos na Antena 2.
De realçar entre elas a apresentação com a Orquestra Filarmonia das Beiras sob a batuta do maestro Ernst Schelle com o concerto para violino de Tchaikovsky e também pela Orquestra Sinfónica Juvenil, tocando a obra As Quatro Estações de Vivaldi. Já em 2013 apresentou-se como solista com a Orquestra de Câmara Portuguesa e com a West Europe Orchestra.
Apresenta-se também como músico de câmara, sendo regularmente convidado pela instituição Contemporaneus e, de realçar, sempre como 1º violino de ensembles de cordas e mais recentemente como concertino na ópera Cosi fan Tutte de Mozart, em que foi a primeira Ópera produzida na região Alentejana. Recentemente foi também convidado para tocar com o Ensemble MPMP obras de compositores portugueses vivos, em que no Festival de S. Roque foi concertino de uma orquestra formada para a ocasião do mesmo Ensemble. Dentro do mesmo ensemble fez, no passado mês de Abril, uma digressão ao Brasil. 
Já foi dirigido por maestros de renome, tais como Pedro Carneiro, Joana Carneiro, Rui Massena, Francesco La Vecchia, Heinrich Schiff, Ernst Schelle, Alberto Roque, Luís Carvalho, Álvaro Cassuto, entre outros.
Foi premiado em diversos concursos, um dos quais o Concurso Internacional José Augusto Alegria.
Frequentou várias Masterclass com os Profs. Gerardo Ribeiro, Gareguine Aroutiounian, Pavel Arefiev, Daniel Rowland, Ulf Hoelscher, Felix Andrievsky e Valentim Stefanov. Frequentou também cursos de direcção com os Profs. Roberto Perez e Vasco Negreiros.
Foi convidado a gravar a Banda Sonora de um DVD sobre a artista plástica Ana Vieira, num projeto com Pedro Carneiro, para Violino e Marimba.
De salientar que ainda colaborou na gravação do CD do cantor e pianista Rogério Godinho, assim como num concerto do já sobejamente conhecido grupo Corvos.
Foi convidado a realizar uma Masterclass de Violino no Teatro Tempo em Portimão.
Tem estreado obras de compositores de grande reconhecimento, tais como Cristopher Bochmann ou Alexandre Delgado, entre muitos outros.
Lecionou no ano lectivo de 2009/2010 a disciplina de Violino no Conservatório Regional de Setúbal. Lecionou também durante o ano 2011 as disciplinas de Violino e Orquestra no Conservatório de Música de Mação. No ano letivo, 2013/2014 leccionou no Conseratório de Música de Alcobaça.
Em Dezembro de 2012 passou a integrar a Orquestra Fundação Estúdio em Guimarães, no âmbito de Guimarães - Capital Europeia da Cultura.



Sara Llano | Iniciou os seus estudos de violino Figueira da Foz. Realizou masterclasses com Olga Prats, Alexêi Tolpigo, Aníbal Lima, Gerardo Ribeiro, Jiri Tomasék, Martynas Svegzda, David Lefèvre e Alexei Trostiansky, entre outros. Ingressou na ESML em 2003 onde estudou nas classes de António Anjos (Violino), Alexandra Mendes e Irene Lima (Música de Câmara). Concluiu o Mestrado em Performance e o Mestrado em Ensino de Violino, sob a orientação de António Anjos e Alexandra Mendes. 
Gravou para a RTP/Antena 2, o Quarteto em Fá m op. 95 de Beethoven e o 3º andamento do Quarteto de Cordas de Luís Freitas Branco. Foi admitida como aluna ERASMUS na HAMU Hudební Fakulta (Praga), onde estudou com Jiri Tomásek. Representou Portugal na Orquestra ERASMUS em Oslo, dirigida por Lavard Skou Larsen. 
Colaborou com o Ensemble Contemporâneus, o Ensemble Eça de Queirós e a OML. Colabora com com a OCP, a Orquestra Gulbenkian, o MPMP, Os Músicos do Tejo, a Sinfonietta de Lisboa e a OCCO. 
Leciona presentemente violino na EMCN. Realizou masterclasses no Conservatório Regional de Ponta Delgada (2017) e no Conservatório de Música de Lisboa (2018).



Leonor Fleming | Nasceu em 1993 e é natural de Aveiro. Aos cinco anos de idade iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian. Concluiu a Licenciatura na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Pedro Saglimbeni Muñoz. Terminou o Mestrado em Interpretação Artística na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, na classe de Jorge Alves, tendo então elaborado a tese "Sobre música portuguesa para viola d'arco no séc. XX: A influência de François Broos (1903-2002) na criação musical em Portugal", sob a orientação de Sofia Lourenço.
Enquanto profissional de orquestra, colaborou com, entre outras, a Orquestra Gulbenkian, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, a Orquestra de Câmara Portuguesa e a Orquestra Clássica do Centro (enquanto membro efetivo e no lugar de viola solista).
Em 2008 venceu o Concurso Paços Premium, na categoria de Viola d'Arco. Em 2014 apresentou-se a solo com a Orquestra Sinfónica da Escola Superior de Música de Lisboa, no âmbito do I Festival de Cordas da ESML. No mesmo ano, como parte integrante do Quarteto AllaBreve, conquistou o segundo lugar no Prémio Jovens Músicos, na categoria de Música de Câmara - nível superior. Em 2015 foi laureada no Concurso Internacional do Campus delle Arti, em Itália, o que lhe permitiu apresentar-se em recitais em Veneza e em Pádua. Em 2016, a Fundação Gulbenkian concedeu-lhe uma bolsa de aperfeiçoamento artístico para frequentar e concluir o Mestrado no Koninklijk Conservatorium Antwerpen, na classe do conceituado professor Leo De Neve. Desde 2017, integra o Werther Piano Quartet, grupo baseado na Bélgica e bolseiro da fundação Mozart-Gesellschaft Dortmund. Em 2018 e 2019, participou nas digressões da Gustav Mahler Jugendorchester, tendo trabalhado com os maestros Vladimir Jurowski, Lorenzo Viotti e Jonathan Nott. Desde 2019, é reforço efetivo da Orquestra Gulbenkian.



Nuno Cardoso | Nascido em Lisboa, licenciou-se em Violoncelo pela Academia Nacional Superior de Orquestra, sob a orientação de Paulo Gaio Lima. Em Portugal e no estrangeiro, tem beneficiado de masterclasses com mestres como Márcio Carneiro, Xavier Gagnepain, Hans Jørgen Jensen, Jan-Erik Gustafsson ou Rainer Zipperling. 
No domínio da música de câmara estudou com Paul Wakabayashi, Paulo Pacheco, Olle Sjöberg e Hans Pålsson. Frequentou a Licenciatura em Matemática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. 
Co-fundador do MPMP, é membro da Comissão de Redacção da revista Glosas. Mantém com o pianista Duarte Pereira Martins um duo com crescente atividade, salientando-se concertos nos ciclos Um Músico, um Mecenas, no Museu Nacional da Música, bem como recitais em Portugal, na Suécia e na Dinamarca. 
Na Suécia, trabalhou interpretação barroca com Peter Spissky e efetuou os estudos de Mestrado em Violoncelo na Musikhögskolan i Malmö da Universidade de Lund, na classe de Torleif Thedéen.    











Fotos Jorge Carmona / Antena 2