Ouvir
Império dos Sentidos
Em Direto
Império dos Sentidos Paulo Alves Guerra / Produção: Ana Paula Ferreira

Concertos

Joana Soares & Cláudio Vaz | 7 Dezembro | 19h00

Museu do Oriente

|

Joana Soares & Cláudio Vaz | 7 Dezembro | 19h00 Joana Soares & Cláudio Vaz | 7 Dezembro | 19h00

© Jorge Carmona / Antena 2


Temporada Concertos Antena 2

7 Dezembro | 19h00

Museu do Oriente
Entrada gratuita
(+ info aqui)

Recital de piano e oboé

Joana Soares & Cláudio Vaz

Joana Soares, oboé
Cláudio Vaz, piano





Programa

César Franck / Transc. David Walter - Sonata em lá maior p/ oboé e piano

Dimitri Kabalewsky /Transc. H. Konrad e L. Nishkarev - Pièces pour enfants p/ oboé e piano

Jeffrey Agrell - Blues for D.D p/ oboé e piano


A vencedora da 32.ª edição do Prémio Jovens Músicos (Nível Superior) Joana Soares apresenta-se num recital a solo no Museu do Oriente com o pianista Cláudio Vaz. Os dois músicos apresentam um programa que inclui obras de César Franck, Dimitri Kabalewsky e Jeffrey Agrell.




Transmissão direta
Apresentação: Pedro Ramos
Produção: Anabela Luís, Alexandra Louro de Almeida





Joana Soares | Jovem oboísta portuguesa, estuda no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris na classe de David Walter, Fréderic Tardy e Nora Cismondi. É licenciada em Música pela Universidade de Aveiro na classe de Jean-Michel Garetti, tendo anteriormente realizado os seus estudos musicais no Conservatório de Música da Jobra na classe de Jonathan Costa, Jean-Michel Garetti e Ana Madalena Silva.
Laureada nacional e internacionalmente, é vencedora da 13ª Edição de "Michał Spisak International Music Competition" (Polónia), 1º lugar na 32ª edição do Prémio Jovens Músicos (Nível Superior), do Prémio da União Europeia para as Competições Musicais, do 3° lugar no Concurso Internacional “Young Artist Oboe Competition” – IDRS (Espanha) e laureada com Menção Honrosa no Gillet- Fox Competion – IDRS (Flórida, EUA). 
Apresentou-se a solo em Portugal com a Orquestra Gulbenkian, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra da Universidade de Aveiro e a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras. 
Foi convidada a orientar masterclasses em Portugal e, ao longo do seu percurso, teve a oportunidade de trabalhar com oboístas de renome, maestros e solistas em Portugal e no estrangeiro. 


Colabora frequentemente com a Banda Sinfónica Portuguesa e já colaborou com derivadas orquestras entre as quais a Orquestra Nacional de Lyon, a Ópera National Orchestre de Montpellier, Antwerpen Symphony Orchestra, Orchestre National de Bretagne, Orchestre de Chambre de la Nouvelle Europe, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orchestre Symphonique et Lyrique de Paris, Orchestre Colonne, Orquestra Filarmónica Portuguesa, entre outras. 
Em Portugal, foi ainda laureada com o 2°prémio na 29ª Edição do Prémio Jovens Músicos (Nível Médio), os 1ºs prémios no Concurso Internacional de Sopros “Terras de La-Salette”, nas diferentes categorias: Infantil, Júnior e Sénior; e o Prémio do Público e 1º lugar (ex-aequo) no Prémio de Interpretação Frederico de Freitas/Universidade de Aveiro. E no contexto de música de câmara, incorporou o agrupamento pentaUnio (quinteto de sopros), com o qual alcançou os 3ºs lugares no III Concurso Nacional Gilberta Paiva e na 30ª edição do Prémio Jovens Músicos (Nível Superior). Foi fundadora do projeto “Tia Graça – Toda a gente devia ter uma.”, uma criação da d’Orfeu AC.



Cláudio Vaz | Nascido a 25 de Maio de 1988 e natural da Guarda, iniciou os seus estudos musicais em 1994 quando frequentou a Escola de Musica do Centro Cultural da Guarda, tendo disciplinas de Formação Musical, Piano e Órgão. Já em 1999 iniciou uma carreira musical mais profunda no Conservatório de Musica da Guarda onde teve aulas de Piano e de Análise e Técnicas de Composição com Eugénia Paula inicialmente e com o pianista Domenico Ricci mais tarde, Formação Musical com João Pedro Delgado, e ainda Acompanhamento com o pianista Luís Silva e o saxofonista Carlos Canhoto. Estudou acordeão, com Helena Rodrigues no Centro Cultural da Guarda. Completando os 8 graus, concluiu com sucesso o Conservatório terminando com média de 18 valores. 
Em 2000 realizou um recital de piano como vencedor do 1º Concurso de Piano do Conservatório da Guarda. Já em 2002 realizou inúmeros concertos de piano a 4 mãos. Conta com a participação em variadas ações de formação, workshops, etc., dos quais se destacam em 2001 a “Oficina de Etnografia” realizada no Paço da Cultura da Guarda, ou em 2003 “Instrumentos Musicais Populares Portugueses” realizado na Guarda. Participou no “Encontro de Escolas de Música entre Guarda e Porto” organizada pela Fundação Engº António de Almeida no Porto. 
Em 2005, intitulada como “Peça nº 1”, foi apresentada a público no Auditório de Conservatório da Guarda a primeira obra escrita por Cláudio Vaz para Piano e Saxofone. Já em 2006 foi a vez de escrever para voz e apresentou na Igreja de Misericórdia da Guarda uma peça para coro de câmara a 4 vozes, à qual deu o nome de “Sé da Guarda” por se tratar de uma homenagem ao monumento. Ainda no seu repertório de obras compostas encontra-se uma Sonata para Piano em Fá maior e uma Fuga a 3 vozes em Ré maior
Conquistou o 1º lugar no Prémio Helena Sá e Costa (2019) em formação de câmara com os percussionistas Daniel Araújo e Jorge Pereira. Desde 2007, integra variados projetos musicais na área do Jazz, Música Portuguesa e Fusão, onde para além de pianista também executa trabalhos como acordeonista. 
Estreou em 2008 na praça 5 de Outubro em Albergaria-a-Velha, um novo e aliciante projecto intitulado “Música na Rua”. Daí nasceu o projeto “Claminus”. Em 2009, o grupo deslocou-se a França, mais propriamente a Erstein, onde atuou no Festival du Sucre, com a presença de mais de 15.000 visitantes.
Lançou com este grupo em 2013 o 1º CD intitulado “Inquietudes”. É elemento fundador dos Entr’amis Quartett, tendo já gravado o 1º disco inspirado na obra de Claude Bolling. 
Na área da música tradicional, trabalhou como coordenador musical do grupo de cantares tradicionais etnográficos “As Camponesas de Aldeia do Bispo” desde 1997, tendo gravado em 2007, o disco “À luz da candeia”. Integra o projeto “Vínculos” juntamente com João Vilão (trompete) e Angélica Olivo (violino). 
Atuou com algumas referências vocais da música portuguesa como a soprano Carla Bernardino, o barítono Miguel Rodrigues, o tenor Sérgio Martins, Simone de Oliveira, Paulo de Carvalho, Ana Laíns, Ricardo Fino, entre outros. 


Colaborou em 2019 na conceção e realização da banda sonora do filme português “Para além da memória” e em 2020 na peça “Mulher”, ambas as obras do realizador Miguel Babo. 
Licenciado em Música no Departamento de Comunicação e Artes da Universidade de Aveiro, na área vocacional de Teoria e Formação Musical/Direcção, orientado pelos professores Vasco Negreiros e Joaquim Branco (Teoria e Formação Musical) e António Vassalo Lourenço (Direção). Frequentou numa Masterclasses de estudos de Jazz, na área de piano, orientados por Mário Laginha, tendo abordado improvisação e harmonia Jazz. Possui o Mestrado em Música para o Ensino Vocacional na Universidade de Aveiro, área específica de Formação Musical, orientado por Paulo Rodrigues. 
Mantém simultaneamente uma intensa atividade como pianista acompanhador (Concursos, Recitais de Música de Câmara, Masterclasses, Cursos de aperfeiçoamento, etc). Destacam-se o Concurso de Canto Lírico “Os Rotários”, Concurso nacional de instrumentos de sopro “Terras de La Salette”, o Concurso Marília Rocha, o Concurso “Paços Premium”, o Prémio de Interpretação Frederico de Freitas, o Prémio Jovens Músicos, a convenção Research Hands on Flute, o Prémio Bomtempo, Festival Ourearte e o Festival Ibero-Latino-Americano. Neste contexto já trabalhou com variados solistas de renome nacional e internacional, entre os quais os flautistas Nuno Inácio, Claudia Walker, Ana Maria Ribeiro, Paolo Taballione, Bonnie McAlvin, Herlander Sousa, Gil Magalhães, Rui Matos, os trompetistas Pacho Flores (artista Deutsche Grammophon), João Vilão, Leandro Rocha, o trombonista Ximo Vicedo, os violinistas Angelica Olivo, Tomás Costa. 
Trabalhou sobre a batuta dos maestros Douglas Bostock, António Vassalo Lourenço, Ernst Schell, António Saiote e Óscar Saraiva. É pianista acompanhador no Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro desde 2014, Conservatório de Águeda desde 2008 e no Curso Profissional de Sopros no Conservatório de Artes do Dão. Realizou funções como pianista acompanhador no Conservatório Calouste Gulbenkian de Aveiro, na Academia de Música da Feira e no Curso Profissional de Sopros e Percussão da Jobra e Conservatório de Artes da Bairrada. 
A nível pedagógico, foi docente na Escola de Música Filarmónica União de Oliveira do Bairro (2008/2009), trabalhando como pianista acompanhador, professor de Formação Musical, e orientador do Coro Infantil. Ainda neste ano, representou Portugal juntamente com Nuno Silva (Trompete), no IP Groningen (Intensive Project) na Holanda, onde participou em imensos workshops de pedagogia, e actividades performativas com Pedagogos de Leipzig (Alemanha), Malmö (Suécia), Oslo (Noruega), Tallin (Estónia), Groningen (Holanda) e Aveiro (Portugal). Ao abrigo deste projecto realizou variados concertos no Prince Claus Conservatorium e leccionou no Zernike College school. Em Março de 2011 fez parte da organização deste mesmo evento, realizado em Portugal, onde vários alunos de mestrado de universidades europeias puderam lecionar nos Conservatórios portugueses. Lecionou Formação Musical na Academia de Música da Feira, na Escola de Música da Banda da Quinta do Picado e trabalhou com as Pré-Iniciações do Curso Livre do Conservatório de Música da Jobra. Além de pianista acompanhador, leciona desde 2009 a disciplina de Formação Musical no Conservatório de Música de Águeda.









Fotos Jorge Carmona / Antena 2