Ouvir
Notas Finais
Em Direto
Notas Finais João Pedro

Concertos

Solistas da Metropolitana | 6 Abril 19h00

Auditório do Liceu Camões

|

Solistas da Metropolitana | 6 Abril 19h00 Solistas da Metropolitana | 6 Abril 19h00

© Jorge Carmona / Antena 2 RTP


6 Abril 19h00
Auditório do Liceu Camões


Solistas da Metropolitana


Silvia Mitev, canto
Diana Tzonkova, violino
Ercole de Conca, contrabaixo


Programa

Go Klezmer!

Música Klezmer com arranjos de Roman Alexeev






A Música Klezmer é a música tradicional dos Asquenazes, os Judeus da Europa de Leste, e é tocada por músicos profissionais, chamados de Klezmorim. Na origem, e até 1939, este género musical consistia em canções, danças e música sacra provenientes das várias culturas de língua ídiche, deste o Báltico até ao Mar Negro. As peças eram depois arranjadas para diversas combinações instrumentais e tocadas em casamentos ou outras ocasiões sociais. Evidenciam também influências búlgaras, romenas, ucranianas, polacas, russas, gregas, turcas, húngaras, árabes e roma (ciganas). Todo este repertório foi levado para os E.U.A., assim como para outras partes do mundo, por intermédio dos emigrantes judeus que abandonaram o velho continente em finais do século XIX e inícios do século XX. Tendo sobrevivido às opressões nazi e estalinista, este repertório conheceu uma renascença internacional em meados da década de 1970. Neste projeto o Duo Contrasti interpreta temas clássicos deste fabuloso repertório onde coexistem a alegria, a vitalidade, o virtuosismo instrumental e a introspeção meditativa. Incluem-se, ainda, peças que, não sendo Klezmer, se inspiram nessa tradição, tais como Prayer de Ernest Bloch e excertos da banda sonora do filme A Lista de Schindler de John Williams.






Transmissão em direto 
Realização e Apresentação: João Pedro 
Produção: Anabela Luís 




Silvia Mitev, canto
O percurso através de três culturas, três formas de vida, três sonoridades conduziu Sílvia Mitev a uma profunda relação com a música. Bulgária, Angola e Portugal – são os três destinos do seu coração onde a sua alma artística foi cultivando a essência do conhecimento musical.
Sílvia Mitev - artista bilingue de dupla nacionalidade (luso-búlgara) cultivou desde cedo o gosto pela música, dotando-a de uma imensa cultura musical. Este conhecimento levou-a até ao Jazz, as Músicas do Mundo e posteriormente ao Fado. 
Nascida na Bulgária, a artista tem, naturalmente, as suas raízes musicais no folclore búlgaro. 
Filha de pai músico e mãe com profissão ligada às ciências da Física, a Sílvia viveu toda a sua infância rodeada de familiares e amigos da família que tornavam qualquer motivo de reunião em festejo sob a forma de música.
Na  sua cidade natal, Shumen, estudou piano/curso de teclas, formação musical e vocal. Passou parte da sua infância no Lobito – Angola, marcando-a para sempre e aprendendo a amar a música e o mundo, respeitar e admirar as diferentes culturas e línguas.
Posteriormente, em Portugal, continuou os seus estudos musicais, dedicando-se ao jazz, improvisação e interpretação. Foi  também aqui que o Fado a seduziu e conquistou, lançando o seu primeiro disco de originais, Caminho, em 2014.
Sílvia tem percorrido  palcos nacionais e  feito algumas tournés no estrangeiro (Bélgica, Suíça, França, Brasil, Bulgária) com os seus espetáculos. Neste momento a artista preparara o seu segundo trabalho discográfico de Fado.
Em 2014, funda com amigos um quarteto de Jazz e Bossa nova, com forte influência das Músicas do Mundo,"Expresso Cool".
Neste momento abraça mais um projeto desafiante de músicas do Mundo, mais especificamente música Kletzmer com o Duo Contrasti, dois músicos de excelência e solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa. Os recitais “Go Kletzmer” estão inseridos no programa da semana cultural da Orquestra Metropolitana de Lisboa e terão lugar nos próximos dias 6, 7 e 9 de Abril.




Diana Tzonkova.
violino
Natural da Bulgária, iniciou a sua formação na Escola Secundária de Música e na Academia de Música de Sofia, onde estudou sobre a direcção do professor Georghi Badev. Foi convidada a interpretar os concertos para violino de Brahms e de Tchaikovsky com a Orquestra Sinfónica da Academia de Sofia. Após a conclusão dos seus estudos, foi vencedora de um concurso que lhe deu a possibilidade de participar em masterclasses de violino e música de câmara durante dois anos. Foi primeiro violino de um quarteto de cordas e de um trio com piano, com os quais atuou em numerosos concertos em Sofia, na Alemanha, Hungria e Moscovo. Venceu o Concurso Internacional de Violino J. Kozian, na Checoslováquia, em 1971, e ganhou o Primeiro Prémio do 10th World Youth Festival, em Berlim, em 1973. Foi igualmente premiada em vários concursos nacionais búlgaros e convidada a actuar como solista com orquestras deste país, em concertos seguidos por tournées por toda a Bulgária. Participou ainda em master-classes internacionais de violino e música de câmara na Alemanha, na Hungria e na ex-União Soviética. Em 1990 deixou a Bulgária e viveu durante dois anos na Suíça, tendo frequentado master-classes na Haute École du Violon Habib Kayaleh. Durante a sua estadia neste país, deu também aulas e colaborou com várias orquestras. Durante curtos períodos de tempo trabalhou com orquestras italianas e francesas. Reside em Portugal desde 1992, data em que ingressou na Orquestra Metropolitana de Lisboa. É também professora de música de câmara na Academia Nacional Superior de Orquestra.



Ercole de Conca, contrabaixo
Nasceu em Itália e formou-se no Conservatório de Estatal, completando os seus estudos com Francesco Petracchi no Conservatório de Genebra. Participou em masterclasses internacionais com o mesmo professor em Sermoneta (Itália), com F. Muzzi em Anzio (Itália) e com L. Streicher no Estoril (Portugal). De 1992 a 1994, foi membro titular da Orquestra Sinfónica Portuguesa.
Desde 1994, é chefe-de-naipe alternante na Orquestra Metropolitana de Lisboa. Colaborou com a Orquestra Sinfónica do Porto e, na qualidade de chefe de naipe, com a Royal Liverpool-Philharmonic Orchestra (Inglaterra), com a Aalborg Symfoni-orkester (Dinamarca) e a Orquestra Sinfónica de Galicia.
Paralelamente à actividade orquestral, atua regularmente como solista e músico de câmara. O seu repertório inclui, juntamente com o repertório standard para contrabaixo, uma série de transcrições por si feitas de obras como Árias Ciganas (P. Sarasate), Variações Rococo (P. Tchaikowsky), Rapsódia Húngara (D. Popper), Danças Romenas (B. Bartok), vários trios com piano de Rachmaninov, Chausson e Smetana, a Sinfonia Concertante de Mozart, entre outras.
Foi convidado várias vezes por orquestras portuguesas e estrangeiras na condição de solista. Entre estas performances, destaca-se o Divertimento Concertante de N. Rota, com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, dirigida por D. Epstein, e a primeira execução mundial do Concerto para Contrabaixo e Orquestra de Emil Tabakov, dirigida pelo próprio compositor.
Desde 1994, é membro do Quarteto Rossini, um ensemble de música de câmara frequentemente alargado a outros formatos, com o qual exerce uma intensa actividade por todo o País. Desde 1994, lecciona Contrabaixo e Música de Câmara na Academia Superior de Orquestra, em Lisboa, tendo vários dos seus alunos ganho concursos para integrar orquestras portuguesas.