Ouvir
Grande Auditório
Em Direto
Grande Auditório Reinaldo Francisco / Produção: Susana Valente

Cultura

Bicentenário de Dostoievski (1821-1881) | 11 Novembro

|

Bicentenário de Dostoievski (1821-1881) | 11 Novembro Bicentenário de Dostoievski (1821-1881) | 11 Novembro

A Antena 2 assinala a 11 de Novembro, os 200 anos do nascimento do escritor russo Fiódor Dostoievski. Ao longo do dia podemos escutar excertos de romances lidos por Raquel Marinho. À noite, na sua Ronda, Luís Caetano dedica também o seu programa a este grande autor.


Bicentenário de Dostoievski (1821-1881) | 11 Novembro


Nos 200 anos de Dostoievski, por Raquel Marinho 
Leitura de excertos das obras de Fiódor Dostoiévski

Horários em antena:

08h00 - Os Irmãos Karamazov (ed. Relógio D'Água)
Para ouvir, clicar aqui

09h00 - Crime e Castigo (ed. Presença)
Para ouvir, clicar aqui.

11h00 - O Idiota (ed. Presença)
Para ouvir, clicar aqui.  

15h00 - Memórias do Subterrâneo (ed. Relógio D'Água)
Para ouvir, clicar aqui.  

18h45 - O Jogador (ed. Presença)
Para ouvir, clicar aqui.
 
21h00 - Recordações da Casa dos Mortos (ed. Relógio D'Água)
Para ouvir, clicar aqui.



A Ronda da Noite, por Luís Caetano
Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski - 200 anos
Para ouvir, clicar aqui.




Fiódor Dostoievski, escritor, filósofo e jornalista do Império Russo, nasceu em Moscovo, a 11 de novembro de 1821.
Nesse ano, o seu pai foi nomeado médico-chefe do Hospital Marinsky para os Pobres em Moscovo. Nos primeiros 15 anos de vida de Fiódor, a família, com os seus 7 filhos, vive num pequeno prédio de serviços do hospital. Aos 10 anos, Fyodor assiste a uma apresentação teatral no Teatro Maly, que constitui para ele um despertar espiritual. As condições precárias e às vezes trágicas do local de trabalho do pai proporcionaram a Fiodor algumas experiências muitomarcantes durante a sua infância que não mais esquecerá. Após a morte repentina da mãe em 1837, o pai decide enviar Fiódor e o seu irmão Mikhail para São Petersburgo, para estudarem no Instituto de Engenharia Militar.

Faz vários exames em religião, literatura russa, fortificação e artilharia, história, alemão, francês e desenho, geometria, arquitetura, enquanto servia nas forças armadas. Torna-se editor do jornal do instituto militar e, apesar da sua natureza quieta e fechada, organiza noites musicais e apresentações de teatro. Aprecia a grande oferta cultural de Petersburgo, mas a escola e a vida militar não o atraem. Em 1843, após completar a sua formação académica em engenharia, dedica-se integralmente à literatura. Começa o seu primeiro romance, Pobre Gente  que é publicado em 1846 e é logo elogiado.

Em abril de 1849, 34 pessoas filiadas ao círculo de Petrushevsky, incluindo Dostoiévski, são presas. Dostoiévski passa 8 meses na prisão, numa cela solitária na infame Fortaleza de Pedro e Paulo em São Petersburgo, e escreve o conto "Um pequeno herói".
Na fria manhã de inverno de 1849, Dostoievski é conduzido à Praça Semyonov vestindo uma camisa branca como mortalha. É amarrado a um poste de madeira enquanto o pelotão de execução aguarda a ordem para os tiros mortais. Com a comutação da pena em trabalhos forçados, por ordem do imperador", é transferido para a Sibéria.

Os quatro anos seguintes passa-os no meio dos mais terríveis criminosos, sem ouvir uma palavra da família ou dos amigos, mas sente um pouco de compaixão de estranhos. Da dura vida da sua prisão na Sibéria, Dostoievski escreveu mais tarde Recordações da Casa dos Mortos, publicado a partir de 1861.

Transferido do campo penal, Dostoievski chega em 1854 a Semipalatinsk para cumprir o serviço militar, onde é ainda perseguido e controlado. Durante esses anos, Dostoievski conhece um homem que se torna muito importante na sua vida: Alexandre Wrangel, que trabalha incansavelmente para aliviar a vida de Dostoiévski e restaurar os seus direitos: recuperar a sua liberdadireito de trabalhar como escritor e de publicar as suas obras. 

Em novembro de 1859, Dostoievski regressa finalmente a São Petersburgo. Petersburgo, onde reencontra o seu querido irmão Mikhail. Os dois criam "Vremja" ("Tempo"), uma revista literária e política. Realiza a sua primeirade, o  viagem à Europa no verão de 1862, visitando muitas cidades europeias, incluindo Baden-Baden - onde pela primeira vez, experimenta a roleta. Nesta fase da vida publica Humilhados e ofendidos e inicia Notas do Subterrâneo
No outono de 1864, o seu irmão Mikhail morre repentinamente, com apenas 44 anos, deixando uma enorme dívida que Fiódor assume. 

Em 1865, Dostoievski retoma a amizade com Alexander Wrangel. É ele quem, como o anjo salvador do escritor, o ajuda num período tão desesperado: um convite para visitar Copenhague, para onde Wrangel fora enviado como secretário na Embaixada Imperial. Dostoievski retoma a escrita com a visita a Copenhague, e posteriormente completa um dos seus maiores romances Crime e Castigo. É publicado em série desde abril de 1866.

De regresso a São Petersburgo, pressionado por circunstâncias extremamente graves, contrata Anna Grigorjevna Snitkina, a quem dita O Jogador. Torna-se um relacionamento forte que vai durar o resto da sua vida. Logo após o casamento, em março de 1867, o casal decide viajar para o exterior e ficam pouco mais de 4 anos. Passam por algumas dificuldades: a morte do primeiro filho, a doença de Fiódor, a escassez constante, as tentações da roleta e a impossibilidade de voltar para casa. Nestes anos escreve O Idiota, cuja ideia básica é retratar o ser humano perfeitamente belo na terra. O trabalho é publicado em série desde o outono de 1868.

Nesta altura, a sua reputação como escritor aumenta a cada nova publicação; a tal ponto que em 1878 é convidado pelo imperador Alexandre III para conhecer a família imperial e dar aulas a seus filhos. Dostoievski dá uma série de grandes palestras com muitas centenas de ouvintes. É convidado para ler em voz alta as suas grandes obras nos salões literários da cidade. 
A partir de 1872, a família passa muito tempo na Dacha em "Staraja Russa" (Novgorod). Aqui encontra paz para concluir a grande obra Os Irmãos Karamazov, publicada em dezembro de 1880. 

No final de janeiro de 1881, Dostoievski sentie-se mal; uma série de hemorragias piora a sua saúde. Dostoiévski sabe que o seu fim se aproxima. 
Fiódor Dostoievski morre a 28 de janeiro às 20h38 (antigo calendário russo). 
No seu funeral no Mosteiro Alexander Nevsky em St. Petersburgo desfilam milhares de cidadãos de Petersburgo, acompanhados por centenas de cantores de coro. Um cortejo nunca antes visto na Rússia. Foi sepultado a 1 de fevereiro (calendário russo). A sua esposa Anna morreu de fome em 9 de junho na cidade de Yalta, na Crimeia, em 1918. Anna foi sepultada pela primeira vez ao lado de Dostoievski em 9 de junho de 1968.