Ouvir
Mezza-Voce
Em Direto
Mezza-Voce André Cunha Leal / Produção: Susana Valente

Cultura

Teatro Sem Fios | Emília, de Claudio Tolcachir | 1 Dezembro 14h00

Artistas Unidos

|

Teatro Sem Fios | Emília, de Claudio Tolcachir | 1 Dezembro 14h00 Teatro Sem Fios | Emília, de Claudio Tolcachir | 1 Dezembro 14h00

© Jorge Gonçalves


Teatro Sem Fios 

5 Novembro | 19h00
1 Dezembro | 14h00 (rep.)
6 Dezembro | 5h00 (rep.)

Gravado no Auditório 2 do 
em Lisboa
Produção: Anabela Luís / Artistas Unidos


Emília | Claudio Tolcachir


Tradução 
Maria João Machado

Intérpretes
Américo Silva
Andreia Bento
Isabel Muñoz Cardoso
João Estima 
Pedro Carraca 

Direcção 
Jorge Silva Melo


EMÍLIA Há uma altura da vida em que os mortos estão mais presentes do que os vivos. E isso é bonito.
Claudio Tolcachir, Emília.


Estamos mesmo alheados daquilo de que os outros precisam? 
Onde nasce este afastamento? 
Por alguma razão, todos se amam e essa razão nem sempre é o amor. 
Talvez o refúgio que Emília procura encontrar nesse antigo amor e na sua família seja a sua ruína. 
O seu sacrifício. 
Ou a salvação?





Claudio Tolcachir | Ator, dramaturgo e encenador argentino. Fundador da Companhia e Escola Timbre 4, apresenta regularmente os seus espectáculos na sua sala em Buenos Aires e no estrangeiro. A estreia de A Omissão da Família Coleman, em 2005, colocou-o no mapa nacional e internacional como autor e encenador. A peça, surje a partir do trabalho com os actores da sua companhia durante longas improvisações. Em 2011, nos Prémios Konex, é considerado um dos 5 melhores encenadores da década na Argentina. Em 2012, foi reconhecido, pela Legislatura de Buenos Aires, como Personalidade Destacada da Cultura. Os Artistas Unidos lêem, em 2017, A Omissão da Família Coleman, integrada no ciclo A Voz do Teatro Latino-Americano, mais tarde gravada para o programa Teatro Sem Fios da Antena 2. Em 2018, apresentam O VENTO NUM VIOLINO, no Teatro da Politécnica.



Jorge Silva Melo sobre Emília






Américo Silva tem o curso do IFICT (1989) e é diplomado (Teatro, 1994) pela ESTC, tendo trabalhado com Ávila Costa, José Peixoto, João Lagarto, Carlos Avilez, Rui Mendes, Diogo Dória, Depois da Uma... teatro?, Francisco Salgado, Manuel Wiborg e no cinema com Jorge Silva Melo e Alberto Seixas Santos e Miguel Gomes. Colabora com os Artistas Unidos desde 1996, tendo participado recentemente em A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2017), A Vertigem dos Animais Antes do Abate de Dimítris Dimitriádis (2017) e Do Alto da Ponte de Arthur Miller (2018).    


Andreia Bento tem a licenciatura da ESTC. Realizou o estágio profissional-curricular nas produções dos Artistas Unidos. Como atriz trabalhou no Pogo Teatro, Teatro Infantil de Lisboa, Teatro da Malaposta com Ana Nave, Teatro Aberto com José Wallenstein e na curta-metragem A Rapariga no Espelho de Pedro Fortes. Autora dos textos para o programa de Cowboy Mouth de Sam Shepard, com encenação de Francisco Salgado. Colabora com os AU desde 2001, trabalhando como assistente de encenação, directora de projecto, actriz e encenadora. É sócia dos AU desde 2006. Recentemente nos Artistas Unidos: Os Acontecimentos de David Greig (2015), O Novo Dancing Eléctrico (2016), A Estupidez (2017) e O Vento Num Violino de Claudio Tolcachir (2018).


Isabel Muñoz Cardoso trabalhou com Luís Varela, José Peixoto, José Carlos Faria, José Mora Ramos, Diogo Dória, Jean Jourdheuil, Solveig Nordlund. Nos Artistas Unidos participou em inúmeros espectáculos a partir de António, Um Rapaz de Lisboa de Jorge Silva Melo (1995) tendo interpretado recentemente Jardim Zoológico de Vidro de Tennessee Williams, O Novo Dancing Electrico de Enda Walsh (2016) e A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2017), A Vertigem dos Animais Antes do Abate de Dimítris Dimitriádis (2017) e O Teatro da Amante Inglesa de Marguerite Duras (2018).

Isabel Muñoz Cardoso sobre Emília






João Estima é formado na ACE (2011) e licenciado pela ESTC. Em 2013 produziu e interpretou O Inventor de Ideias, com texto e enc de Ricardo Alves. Trabalhou com António Capelo, António Júlio, Joana Providência, João Paulo Costa, Maria do Céu Ribeiro, Victor Hugo Pontes, André Guedes, Esperanza Lopez e Oskar Goméz-Mata. Nos Artistas Unidos participou em Doce Pássaro da Juventude, de Tennessee Williams (2015), O Grande Dia da Batalha variações sobre o Albergue Nocturno de Máximo Gorki, de Jorge Silva Melo (2017).

João Estima sobre Emília





Pedro Carraca trabalhou com António Feio, Clara Andermatt, Luís Miguel Cintra, João Brites, Diogo Dória e Maria do Céu Guerra. Integra os Artistas Unidos desde 1996. Recentemente participou em A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2017), O Cinema de Annie Baker (2017), Tenho trinta anos, estou nas cadeias há quatro a partir de Luandino Vieira (2017), A Vertigem dos Animais Antes do Abate (2017), O Teatro da Amante Inglesade Marguerite Duras (2018) e O Vento Num Violino de Claudio Tolcachir (2018).