Ouvir
Boulevard
Em Direto
Boulevard André Pinto

Cultura

Teatro sem Fios | La Musica, de Marguerite Duras | 19 Outubro | 19h00

Artistas Unidos

|

Teatro sem Fios | La Musica, de Marguerite Duras | 19 Outubro | 19h00 Teatro sem Fios | La Musica, de Marguerite Duras | 19 Outubro | 19h00

© Jorge Gonçalves


Teatro Sem Fios

19 Outubro | 19h00

Gravado no Auditório 2 do 
em Lisboa
Produção: Anabela Luís / Artistas Unidos


La Musica | Marguerite Duras


Tradução | Ana Campos 
Com João Pedro Mamede, Ana Amaral, Rita Rocha Silva, Inês Pereira e Bruno Vicente.
Direção | João Pedro Mamede


Um homem e uma mulher divorciados encontram-se para falar dos despojos da sua relação. Convocam-se memórias. Fazem-se revelações. Um encontro que é uma história sobre o fim do amor.



Marguerite Duras | Romancista, autora teatral, realizadora, uma das vozes mais singulares da literatura do Século XX, nasceu em Saigão, na colónia francesa da Cochinchina, a sul do actual Vietname. Das suas obras destacam-se Barragem Contra o Pacífico, Moderato Cantabile, A Tarde do Senhor Andesmas, A Dor, O Amante ou O Deslumbramento de Lol V. Stein
É autora do argumento de Hiroshima, meu amor, realizado por Alain Resnais. Muitas obras suas foram adaptadas ao cinema por realizadores como René Clément, Jean-Jacques Annaud, Jean-Marie Straub, Henri Colpi, Jules Dassin. Mas também dirigiu filmes próprios, tornando-se uma das mais originais cineastas da década de 70. 
Marguerite Duras faleceu aos 81 anos em Paris.



João Pedro Mamede |
É diplomado pela ESTC (Teatro, 2013). Iniciou a sua formação teatral na Cena Múltipla, dirigida por Francis Seleck, Pedro D'Orey e Catarina Pé-Curto (2006-2010), onde trabalhou textos de Fernando Pessoa, Karl Valentin e Farid Udi-Din Attar e criações colectivas. Frequentou workshops de Bruno Schiappa, Inês Nogueira, Sílvia Real e Stephan Kaegi, dos Rimini Protokoll. 
Dirigido por Francis Seleck, estreou, em Março 2011, A 20 de Novembro, de Lars Nóren. Participou em Amadeus de Peter Shaffer, encenação de Tim Carroll no TNDM II e em Do Alto da Ponte de Arthur Miller, encenação de Gonçalo Amorim (TEP) no Teatro da Trindade. Criou com Pedro Sousa Loureiro o espectáculo Playground Session (2012) e fundou OS POSSESSOS com os quais estreou recentemente O Novo Mundo (2018) e A Bolha (2019). 
Recentemente nos Artistas Unidos: A Estupidez de Rafael Spregelburd (2017), O Grande Dia Da Batalha de Máximo Gorki e Jorge Silva Melo (2018), A Máquina Hamlet de Heiner Müller (2020) e Birdland de Simon Stephens (2021).


Inês Pereira | Estreou-se no teatro em 2004 no Teatro Tapa Furos tendo entretanto trabalhado como actriz e, por vezes, assistente de encenação com os Primeiros Sintomas, o Teatro da Terra, o TEP, o Teatro do Eléctrico, Causas Comuns, Ruínas com directores como Bruno Bravo, Sandra Faleiro, Gonçalo Amorim, Maria João Luís, Ricardo Neves-Neves e Carlos Marques. É ainda vocalista do Conjunto Vigor. 
Nos Artistas Unidos participou recentemente em O Grande Dia Da Batalha de Máximo Gorki e Jorge Silva Melo, Do Alto da Ponte de Arthur Miller, Retrato de Mulher Árabe Que Olha o Mar de Davide Carnevali (2018) e A Máquina Hamlet de Heiner Müller (2020).


Rita Rocha Silva |
É formada pelo Conservatório de Música da Jobra (Artes do Espectáculo – Interpretação, 2012) e licenciada pela ESTC (Actores, 2015). Em teatro, fez parte do Projecto Europeu Under 25 Routes com João Garcia Miguel. Trabalhou com Ana Borralho e João Galante, Miguel Moreira e Romeu Runa, Tiago Vieira, Tónan Quito, Mário Coelho, Pedro Baptista, Pedro Alves, Maria João Luís, Marta Pazos, Alex Cassal. 
Em cinema, trabalhou com Tiago Guedes, Pedro Cabeleira, Mário Barroso. Complementou a sua formação em diversos workshops de dança com Vera Mantero, Francisco Camacho, Peter Michael Dietz, Lara Guidetti, Yael Karavan. Nos Artistas Unidos, participou em Birdland de Simon Stephens (2021).


Ana Amaral | Frequentou o curso de Actores da ESTC. Trabalhou com Claudio Hochman, Jorge Fraga, Vítor Correia, Tiago Vieira, Rafael Moraes e Luís Miguel Cintra. Estudou ballet clássico, técnica vocal e canto jazz (com Jacinta). Participou em formações com Nuno Pino Custódio, Nuno Meireles, Filipa Braga Cruz, Chris Murphy, Rodrigo Malvar, Meredith Monk, Enrique Pardo e Linda Wise. Nos Artistas Unidos, participou em Punk Rock de Simon Stephens (2014), em A Noite da Iguana de Tennessee Wiliams (2017) e Birdland de Simon Stephens (2021).


Bruno Vicente | Licenciado em Teatro-Actores pela ESTC. Trabalhou com Pedro Carmo, Bruno Schiappa, Lia Bertollazo, Luca Aprea, Maria Repas, Natália de Matos e teve participações em televisão, cinema e publicidade. Tem dirigido a sua actividade para a formação teatral de crianças e jovens, tendo passado no âmbito da mesma pelo Fraserburgh Arts Center (Escócia), Fundação Artemisszio (Budapeste), Creative Cooperation (programa da Comissão Europeia, Hoffenheim, Alemanha) e mais recentemente por Luanda, Angola. É professor de Teatro em Queijas. 
Nos Artistas Unidos, participou em Do Alto da Ponte de Arthur Miller (2018).