Ouvir
Um Certo Olhar
Em Direto
Um Certo Olhar Luís Caetano

Cultura

Teatro Sem Fios | Um tiro na cabeça, de Pau Miró | 10 Abril 19h00 | 6 Maio 14h00 | 11 Maio 05h00

Artistas Unidos

|

Teatro Sem Fios | Um tiro na cabeça, de Pau Miró | 10 Abril 19h00 | 6 Maio 14h00 | 11 Maio 05h00 Teatro Sem Fios | Um tiro na cabeça, de Pau Miró | 10 Abril 19h00 | 6 Maio 14h00 | 11 Maio 05h00

Andreia Bento © Jorge Gonçalves


Teatro Sem Fios 

10 Abril 19h00 
6 Maio 14h00 | 11 Maio 05h00 (repetições)

Gravado no Auditório 2 do 
em Lisboa

Produção: Anabela Luís / Artistas Unidos


Um tiro na cabeça, de Pau Miró 


Sinopse
Três mulheres. E a censura, pessoal ou pública. Uma jornalista incómoda que acaba de ser despedida. Uma vítima que só quer que o seu caso seja revelado. Um beco de onde ninguém pode sair. 
São os dias de hoje inventados por um dos mais atentos autores actuais, Pau Miró.

Intérpretes
Jornalista - Andreia Bento
Rapariga - Vânia Rodrigues
Mulher - Isabel Muñoz Cardoso

Indicações cénicas 
Pedro Carraca


Pau Miró nasceu em Barcelona em 1974. É licenciado em Arte Dramática pela Escola Superior d’Art Dramátic - Institut del Teatre (1999). Participou em seminários na Sala Beckett dirigidos por Carles Batlle, Sergi Belbel, Xavier Albertí, Sanchis Sinisterra, Martin Crimp, Juan Mayorga e Javier Daulte. 
É fundador da companhia Menudos, formada por ex-alunos do Institut del Teatre. Escreveu e encenou Girafes (Teatre lliure, no âmbito do festival grec, 2009); Lleons (Teatro Nacional da Catalunha, no âmbito do projecto T6, 2009); Búfals (Girona, 2008); Enfermo Imaginario (Co-autor; estreia no Teatre Condal, Barcelona, 2008); Singapur (no âmbito do projecto T6, TNC, [Sala Beckett], 2008); Los Persas: Réquiem por un Soldado (dramaturgia com Calixto Bieito, 2007); Banal Sessions of Fedra (Eòlia, 2006); Somriure d’Elefant (Festival Grec, 2006); Bales i Ombres (Espai Lliure, 2006); Happy Hour (Teatre Lliure, 2004 e Teatre Borràs, 2005); Paraigües Elèctrics (Sala Trono Villegas Tarragona, 2003); Una Habitació a l’Antàrtida (Teatre Malic, 2002); La Poesia dels Assassins (Teatre Malic, 2000). 
Plou a Barcelona, dirigida por Toni Casares na Sala Beckett em 2004, teve um amplo reconhecimento internacional, tendo sido traduzida para castelhano, italiano, francês, polaco e inglês, e estreado no Teatro Nuovo de Nápoles em 2007, no Piccolo Teatro de Milão em 2008, e também em Buenos Aires, na Venezuela e em Córdoba. A peça foi adaptada para o cinema pelo próprio Pau Miró e por Carles Mallol, num filme com o mesmo título realizado por Carles Torrents. 
Pau Miró colaborou também em guiões televisivos e radiofónicos, trabalhou como ator em várias produções e apresentou os programas No n’hi ha prou e Bohèmia, do Canal 33. Em 2005 traduziu a sua peça Plou a Barcelona para castelhano, e em 2010, também para castelhano, Questi Fantasmi, de Eduardo de Filippo.



Andreia Bento tem a licenciatura da ESTC. Como actriz trabalhou no Pogo Teatro, Teatro Infantil de Lisboa, Teatro da Malaposta com Ana Nave, Teatro Aberto com José Wallenstein e na curta-metragem A Rapariga no Espelho de Pedro Fortes. Colabora com os AU desde 2001. Recentemente nos Artistas Unidos: Os Acontecimentos de David Greig (2015), O Novo Dancing Eléctrico (2016) e A Estupidez (2017).      


Isabel Muñoz Cardoso trabalhou com Luís Varela, José Peixoto, José Carlos Faria, José Mora Ramos, Diogo Dória, Jean Jourdheuil, Solveig Nordlund. Nos Artistas Unidos participou em inúmeros espectáculos a partir de António, Um Rapaz de Lisboa de Jorge Silva Melo (1995) tendo interpretado recentemente Jardim Zoológico de Vidro de Tennessee Williams, O Novo Dancing Electrico de Enda Walsh (2016) e A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2017), A Vertigem dos Animais Antes do Abate de Dimítris Dimitriádis (2017) e O Teatro da Amante Inglesa de Marguerite Duras (2018).


Pedro Carraca trabalhou com António Feio, Clara Andermatt, Luís Miguel Cintra, João Brites, Diogo Dória e Maria do Céu Guerra. Integra os Artistas Unidos desde 1996. Recentemente participou em Jogadores de Pau Miró (2015), O Novo Dancing Eléctrico(2016), A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2017), O Cinema (2017), Tenho trinta anos, estou nas cadeias há quatro a partir de Luandino Vieira (2017), A Vertigem dos Animais Antes do Abate (2017) e O Teatro da Amante Inglesa de Marguerite Duras (2018).


Vânia Rodrigues trabalhou com André Uerba, Miguel Moreira, Mónica Calle, João Mota, João Abel, Há Que dizê-lo, Latoaria, Tiago Vieira, Pedro Palma, Raul Ruiz. Nos Artistas Unidos participou recentemente em Jardim Zoológico de Vidro de Tennessee Williams, O Rio de Jez Butterworth (2016), A Noite da Iguanade Tennessee Williams (2017), A Vertigem dos Animais Antes do Abate de Dimítris Dimitriádis (2017) e O Grande Dia da Batalha de Jorge Silva Melo, variações sobre Gorki (2018).