Ouvir
Grande Auditório
Em Direto
Grande Auditório Reinaldo Francisco / Produção: Susana Valente

Cultura

Teatro sem Fios | Vento Forte, de Jon Fosse | 24 Janeiro | 19h00

Artistas Unidos

|

Teatro sem Fios | Vento Forte, de Jon Fosse | 24 Janeiro | 19h00 Teatro sem Fios | Vento Forte, de Jon Fosse | 24 Janeiro | 19h00

© Jorge Gonçalves


Teatro Sem Fios

24 Janeiro | 19h00
29 Janeiro | 14h00 (repetição)

Gravado no Auditório 2 
em Lisboa
Produção: Anabela Luís / Artistas Unidos


Vento Forte | Jon Fosse


Tradução 
Pedro Porto Fernandes

Intérpretes
Rita Durão
Américo Silva 
Nuno Gonçalo Rodrigues

Direção


Eu escrevo quase sem ponto de partida, sem imagem, sem plano, escrevo só. Vou escrevendo, variações. Há um momento em que tudo tem de se resolver. Se calhar é por isso que as coisas acontecem tão abruptamente no final das minhas peças.
Jon Fosse, Artistas Unidos – Revista, nº 4


Um homem que esteve na estrada por um longo período de tempo, olha pela janela do apartamento que partilha com a sua mulher. Mas é ainda a mesma janela, apartamento, mundo? Quanto tempo esteve ele ausente? Terá ele um lugar, tempo e presença aqui? Ou pertence ao passado e é um mero espectador do seu desaparecimento… 
Em Vento Forte, Fosse conta a história não só da tentativa de regresso à vida, mas também ao mundo do teatro, cujos parametros se alteraram e cujas antigas certezas se perderam.




@ David Levene/Eyevine/4see

Jon Fosse | Um dos mais importantes e celebrados autores vivos. Nasceu em 1959, em Strandebarm, no Oeste da Noruega, e vive atualmente numa residência honorária situada nas propriedades do Palácio Real de Oslo, chamada «Grotten», bem como em Hainburg, Áustria, e em Frekhaug, Noruega.
Escritor e dramaturgo prolífero, estreou-se em 1983 com o romance Raudt, svart [Vermelho, preto], tendo recebido vários prémios ao longo da sua carreira, entre os quais o Prémio Internacional Ibsen, o Prémio Europeu de Literatura e o Prémio de Literatura do Conselho Nórdico. 
A sua extensa obra, traduzida em mais de quarenta línguas, inclui romance, teatro, poesia, livros para crianças e ensaio.





Rita Durão | Tem construído um percurso de grande visibilidade na televisão e no cinema, área em que foi premiada pelos filmes Vingança de uma Mulher de Rita Azevedo Gomes e Em Segunda Mão de Catarina Ruivo. Trabalhou com João Perry em A Disputa de Marivaux e O Sonho de Uma Noite de Verão de Shakespeare, e em vários espectáculos do Teatro da Cornucópia. No cinema trabalhou com João César Monteiro, Rita Azevedo Gomes, Fonseca e Costa, Maria de Medeiros, José Álvaro de Morais, Raúl Ruiz e Jeanne Waltz. Trabalhou anteriormente com os Artistas Unidos em Baal de Brecht (2003) e, mais recentemente, em Vidas Íntimas de Noël Coward (2019).   


Américo Silva | Trabalhou com Ávila Costa, José Peixoto, João Lagarto, Carlos Avilez, Rui Mendes, Diogo Dória, Depois da Uma... teatro?, Francisco Salgado, Manuel Wiborg e no cinema com Jorge Silva Melo,  Alberto Seixas Santos e Miguel Gomes. Colabora com os Artistas Unidos desde 1996, tendo participado recentemente em Do Alto da Ponte de Arthur Miller (2018), Ballyturk de Enda Walsh (2019), Emília de Claudio Tolcachir (2019), A Máquina Hamlet de Heiner Müller (2020), Morte de um Caixeiro Viajante de Arthur Miller (2021) e Vida de Artistas de Noël Coward (2022).   


Nuno Gonçalo Rodrigues | É diplomado pela ESTC. Em 2013, em conjunto com João Pedro Mamede e Catarina Rôlo Salgueiro, funda OS POSSESSOS. É actualmente assessor de imprensa nos Artistas Unidos. Nos Artistas Unidos participou mais recentemente em Retrato de Mulher Árabe que olha o mar, de Davide Carnevali (2018), Birdland de Simon Stephens (2021) e A Circularidade do Quadrado de Dimítris Dimitriádis (2021).   


António Simão | Tem os cursos do IFICT (1992) e IFP (1994). Trabalhou com Margarida Carpinteiro, António Fonseca, Aldona Skiba-Lickel, Ávila Costa, João Brites, Melinda Eltenton, Filipe Crawford, Joaquim Nicolau, Antonino Solmer e Jean Jourdheuil. É pós-graduado em Estudos de Teatro pela FLUL. Integra os Artistas Unidos desde 1995, tendo participado recentemente Uma Solidão Demasiado Ruidosa a partir do romance de Bohumil Hrabal (2020), Morte de um Caixeiro Viajante de Arthur Miller (2021), Terra de Ninguém de Harold Pinter (2022) e Proximidade de Arne Lygre (2022).