Ouvir
Olhar a Lua
Em Direto
Olhar a Lua Tomás Anahory

Videos

Refugiados em Portugal - O Que Foi Feito, O Que Falta Fazer | Festival Antena 2 | 18 Fevereiro 15h00

6º Dia | Conferência

|

Refugiados em Portugal - O Que Foi Feito, O Que Falta Fazer | Festival Antena 2 | 18 Fevereiro 15h00 Refugiados em Portugal - O Que Foi Feito, O Que Falta Fazer | Festival Antena 2 | 18 Fevereiro 15h00

2º FESTIVAL ANTENA 2

Sala Eça de Queiroz,

18 Fevereiro | 15h00
Conferência | Refugiados em Portugal - O Que Foi Feito, O Que Falta Fazer



Margarida Olazabal Cabral [em substituição de Rui Marques]
Teresa Tito de Morais
Jorge Vala
Margarida de Magalhães Ramalho
Pedro Calado 
Mariana Vareta
Luís Caetano (moderador)


O fluxo de refugiados que procuram a Europa tem constituído um dos maiores desafios dos últimos anos. Em 2016 o governo disse que Portugal podia receber até 10 mil refugiados. A União Europeia solicitou ao país a disponibilidade para abrigar pelo menos três mil. Porque recebemos apenas perto de 1500? Por outro lado, cerca de 40% dos refugiados que vieram para Portugal já abandonaram o país. Porque se foram embora? Haverá uma linha nítida a separar a condição de refugiados políticos da de imigrantes económicos? Quais os casos bem sucedidos? Quais os problemas mais sérios? 

Vamos conhecer aquilo que se passa na Grécia, as políticas europeias em relação aos países de chegada, a situação nos campos de refugiados, o sistema de redistribuição pelos países europeus. E olhamos a nossa história de acolhimento de refugiados, nomeadamente durante a Segunda Guerra Mundial. São estas as questões a abordar nesta conferência moderada por Luís Caetano (realizador da Antena 2), com a participação de Margarida Olazabal Cabral (Comissão Executiva da Plataforma de Apoio aos Refugiados), Teresa Tito de Morais (Presidente do Conselho Português para os Refugiados que representa o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados em Portugal), Jorge Vala (professor, investigador e coordenador em Portugal do European Social Survey, um inquérito transnacional de cariz académico realizado a cada dois anos por toda a Europa), Margarida de Magalhães Ramalho (historiadora responsável pelo Museu Vilar Formoso: Fronteira da Paz, especialista em história dos refugiados em Portugal ao tempo da II Guerra Mundial), Pedro Calado (alto-comissário para as Migrações) e Mariana Vareta (psicóloga portuguesa voluntária na Mobile Info Team, uma organização de apoio a refugiados na Grécia). 




Teresa Tito de Morais é Presidente do Conselho Português para os Refugiados (CPR), Organização Não-Governamental para o Desenvolvimento fundada em 1991 e que representa, em Portugal, o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR). Ativista pelos Direitos Humanos e dos Refugiados e pela criação de mecanismos sólidos e facilitadores do acolhimento e integração dos refugiados em Portugal viveu, ela própria a privação da liberdade e o exílio antes da implementação do regime democrático no país. Tem um percurso dedicado à causa dos refugiados que lhe valeu o reconhecimento na esfera académica, pública e privada.



Jorge Vala
 é Professor, investigador e coordenador em Portugal do European Social Survey (ESS), um inquérito transnacional de cariz académico que tem sido realizado a cada dois anos por toda a Europa desde 2001. Portugal é representado no ESS pelo seu Coordenador Nacional, Jorge Vala do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa. o O European Social Survey tem produzido sobre a abertura da sociedade portuguesa e europeia ao acolhimento de refugiados e de imigrantes





Margarida de Magalhães Ramalho é licenciada em História, variante História da Arte pela Universidade de Lisboa, é investigadora do Instituto de História Contemporânea. Começou a sua actividade de investigadora, em 1986 com a Fortaleza de Nossa Senhora da Luz, em Cascais. Responsável pelas escavações arqueológicas aí realizadas, entre 1987 e 2005, com alguns estudos publicados nesta matéria foi também a autora da adaptação museológica desta estrutura militar em 2014. 
Desde 2000 que a sua área de investigação se centrou nas questões relativas aos refugiados em Portugal durante a Segunda Guerra Mundial, desenvolvendo desde essa altura diversos projectos de investigação relacionados com esta temática. Foi comissária científica do Museu Vilar Formoso, Fronteira da Paz, Memorial aos Refugiados e ao Cônsul Aristides de Sousa Mendes; da exposição Portugal, the Last Hope, Center for Jewish History, Nova Iorque, 2016; da exposição A Última Fronteira – Lisboa em Tempo de Guerra, Torreão Poente do Terreiro do Paço, 2013, e do Museu Virtual Aristides de Sousa Mendes, 2008. Publicou, entre muitos outros títulos, Vilar Formoso – Fronteira da Paz, Câmara Municipal de Almeida (2014) e Lisboa, uma cidade em tempo de Guerra, Imprensa Nacional-Casa da Moeda (2012).



Pedro Calado é, desde 2014, o Alto-comissário para as Migrações, responsabilidade que conduz em paralelo com a função de Coordenador Nacional do “Escolhas” - programa governamental, criado em 2001, para promover a inclusão social e a igualdade de oportunidades de crianças e jovens em contextos vulneráveis.
É licenciado e Mestre em Geografia pela Universidade Clássica de Lisboa, com especialização em “Exclusão, Sociedade e Território”. Foi consultor e avaliador em diversas entidades, tendo sido, igualmente, fundador e voluntário em diversas organizações do terceiro setor. Foi representante do Programa Escolhas na Rede Europeia de Prevenção da Criminalidade Juvenil (EUCPN), tendo sido vencedor do Prémio Europeu Heinz Roethof atribuído em 2003, pela União Europeia, ao projeto “Tutores de Bairro”.
Investigador e docente universitário convidado em diversas instituições de ensino superior, com diversos artigos académicos publicados nos domínios da inclusão social, descendentes de imigrantes/minorias étnicas e educação formal e não formal. É também formador profissional nos domínios da inovação social, inclusão social, empreendedorismo social e migrações.


@ Abdulazez Dukhan

Mariana Vareta, 40 anos, licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto e formada em Jornalismo pelo Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas. Em Abril de 2016 foi como voluntária para o Norte da Grécia, onde co-fundou e coordena a Mobile Info Team, que se dedica a informar e aconselhar refugiados nas suas candidaturas ao sistema europeu de asilo.


Transmissão direta (antena e online)
Entrada Livre
Para maiores de 6 anos