Ouvir
Império dos Sentidos
Em Direto
Império dos Sentidos Paulo Alves Guerra / Produção: Ana Paula Ferreira

Destaques

Caleidoscópio I | Sábado 22h00 | Segunda 13h00 | Quarta 5h00

Libertango | João Gobern

|

Caleidoscópio I | Sábado 22h00 | Segunda 13h00 | Quarta 5h00 Caleidoscópio I | Sábado 22h00 | Segunda 13h00 | Quarta 5h00

A Antena 2 apresenta, a partir do início de Janeiro, a série do programa Caleidoscópio, intitulada Libertango, da autoria de João Gobern. Até 27 de Março.

Sábados 22h00 | 2ª feiras 13h00 | 4ª feiras 5h00


Libertango 
Os Domínios de Piazzolla
por João Gobern


Esta série visa assinalar o centenário do nascimento de Astor Pantaleón Piazzolla, que se cumpre a 11 de Março de 2021. Piazzolla é hoje considerado um dos maiores compositores do século XX e um homem cuja obra cumpriu, de forma superior, a ponte entre o popular o erudito. Apresenta-se uma visita à vida e ao trajecto musical de alguém que, em diversas fases, foi posto em causa pelos mais velhos e mais puristas praticantes do tango, mas que conseguiu conquistar – com diversas formações musicais e com uma série assinalável de influências – um lugar ímpar no panorama da América Latina.
São múltiplas as abordagens que se propõem:
- a vida de Piazzolla em Nova Iorque, onde passou a infância, e, mais tarde, em Paris e Roma;
- a descoberta do bandoneon, depois de um encontro marcante com Carlos Gardel;
- o seu crescimento e reconhecimento como instrumentista, com destaque para a sua passagem pelo conjunto de Anibal Troilo, considerado o melhor da Argentina na sua época;
- o advento como arranjador, controverso mas capaz de enorme inovação;
- as relações com os seus dois grandes professores, o argentino Alberto Ginastera e a francesa Nadia Boulanger;
- a sua explosão como compositor, capaz de trabalhar com orquestra e também com diferentes formatos de grupo musical, do quinteto ao ensemble de nove músicos;
- a colaboração com Jorge Luis Borges;
- a sua inserção na vida cultural argentina, seja ela representada por escritores (como Ernesto Sábato ou Horacio Ferrer) ou por músicos (da velha guarda e das novas gerações, de Osvaldo Pugliese a Dino Saluzzi);
- as suas ligações ao jazz (tem discos partilhados com Gerry Mulligan ou Gary Burton) e os músicos dessa área que o inspiraram;
- as controvérsias em que se viu envolvido, tanto a nível artístico como no domínio da política;
- a sua personalidade intempestiva, por vezes bem sublinhada nas declarações e entrevistas;
- o imenso, quase infinito, legado musical, tão bem abordado por múltiplos talentos, tanto na área erudita como nas do jazz e da música pop..

A emitir entre 2 de Janeiro e 28 de Março, são 13 programas em que a base de trabalho está, naturalmente, na obra de Piazzolla, mas em que entram em cena as suas múltiplas “ligações” e as suas principais influências e gostos. Além do recurso ao discurso directo do “homenageado”, são ainda feitas incursões com recurso à Literatura e à Poesia da Argentina.
João Gobern




Programas

1º Prog. | 2 Jan.
Apresentação de um génio 
Música: Astor Piazzolla, em múltiplos formatos – quinteto, sexteto, octeto e com orquestra
Para ouvir, clicar aqui.


2º Prog. | 9 Jan.
Vidas paralelas
Música: Astor Piazzolla, Carlos Gardel e os grandes tangueros que marcaram Piazzolla: Anibal Troilo, Osvaldo Pugliese, Alfredo Gobbi. Mais a Orquesta de Francisco Lumuto e o Sexteto Mayor, em tangos clássicos
Para ouvir, clicar aqui.


3º Prog. | 16 Jan.
Planeta Tango 
Música: Os mais insólitos compositores de tango – Giacomo Puccini, Erik Satie, Tom Waits, John Cage, Kurt Weill, Dimitri Shostakovich, Igor Stravinsky, Joe Jackson, Aaaron Copland, Paco De Lucia e Al Di Meola
Para ouvir, clicar aqui.




4º Prog. | 23 Jan.
Um brinquedo chamado bandoneon 
Música: Os grandes mestres do instrumento – Astor Piazzolla, Alberto di Paulo y Orquesta, Orquesta Tipica de Osvaldo Fresedo, Juan d’Arenzio y Orquesta, Orquesta Tipica de Pedro Laurenz, José Basso y Orquesta, Dino Saluzzi, Carel Kraayenhof e Anibal Troilo
Para ouvir, clicar aqui.


5º Prog. | 30 Jan.
O grande círculo – mestres, inspiradores, compatriotas 
Música: Astor Piazzolla, Igor Stravinsky, Arthur Rubinstein, Alberto Ginastera, Jaime Torres, Atahualpa Yupanqui, Mercedes Sosa, Leon Gieco, Fito Paez, Lalo Schiffrin e Daniel Barenboim
Para ouvir, clicar aqui.


6º Prog. | 7 Fev.
A costela sinfónica
Música: Astor Piazzolla, em peças para orquestra, naipes de cordas e ballet
Para ouvir, clicar aqui.


7º Prog. | 14 Fev.
Em busca das palavras 
Música: Astor Piazzolla e dois parceiros fundamentais nos poemas – Jorge Luis Borges e Horacio Ferrer
Para ouvir, clicar aqui.


8º Prog. | 21 Fev.
Piazzolla vai ao jazz 
Música: Astor Piazzolla com Gerry Mulligan e com Gary Burton. E ainda Miles Davis, Chick Corea e uma evocação de Cab Calloway
Para ouvir, clicar aqui.




9º Prog. | 28 Fev.
As vozes de serviço
Música: Astor Piazzolla com os cantores Roberto Goyeneche, Amelita Baltar, Milva, Adriana Varela, Jose Angel Trelles, Valeria Munarriz e Silvana De Luigi
Para ouvir, clicar aqui.


10º Prog. | 7 Mar.
Visto com outras mãos 
Música: Originais de Astor Piazzolla revisitados por Grace Jones, Msitislav Rostropovich, Gidon Kremer, Caetano Veloso, Martha Argerich, Yo-Yo Ma, Die 12 Cellisten der Berliner Philarmoniker, Egberto Gismonti, Jacques Morelenbaum, Al Di Meola e Alison Balsom
Para ouvir, clicar aqui.


11º Prog. | 14 Mar.
Piazzolla vai ao cinema
Música: Astor Piazzolla em bandas sonoras, sobretodo a partir dos filmes Sur e El Exilio de Gardel


12º Prog. | 21 Mar.
Parceiros e herdeiros 
Música: Originais de Astor Piazzolla recriados por contemporâneos e “descendentes” – Sexteto Mayor, Antonio Agri, Richard Galliano e os grupos Astoria, Alban Berg Quartett, Amarcord Wien, Los Tangueros, Quator Caliente, Quinteto Astor Piazzolla (formação actual, sem o próprio) e Gotan Project
Para ouvir, clicar aqui.


13º Prog. | 28 Mar.
A herança infinita 
Música: Astor Piazzolla nas suas maiores criações, de Libertango a Adiós Nonino
Para ouvir, clicar aqui.




João Gobern | Nasceu em Agosto de 1960, na clássica Maternidade Alfredo da Costa, Lisboa. Viveu em Campo de Ourique - a que regressaria adulto - até ao êxodo familiar rumo aos Estoris. Cresceu com vista para o mar e com espaço aberto para futebóis e coboiadas. Estudou Direito até ao momento em que os jornais falaram mais alto. Começou no jornal A Capital, mudou-se para o Se7e, assentou praça no Correio da Manhã Rádio. Retornou ao vespertino antes do desafio de O Independente. Foi director do Se7e (1991-1994), transitando para a Visão. Preparou o lançamento da Focus, onde foi director-adjunto. Dirigiu a TV Guia. Foi o director fundador da revista Sábado. Colaborou na Música & Som, em O Ponto, em O Jornal, no Semanário, na revista Bravo, no Blitz, no DNA (Diário de Notícias), no Diário Económico, na Máxima, na Vogue, no Record, no Correio da Manhã e no Diário de Notícias. Escreveu ficção para a revista do i. Escreve, sempre que pode, na revista Visão História. Publicou em 2016 o livro Quando A TV Parava o País, que se seguiu a Pano Para Mangas, em 2014, e Boca Doce, em 2006. Colaborou, ao longo de 2020, na iniciativa Portugal Muito Maior, do Instituto Camões. Na televisão, colaborou no Vivámúsica e em Teledependentes, escreveu guiões para programas especiais, como a emissão de despedida dos estúdios do Lumiar, sempre na RTP. Integra, desde a época futebolística 2012/2013, o painel de comentadores do Trio d'Ataque (RTP3). Na rádio, passou pela Rádio Marginal, pela RFM, pela Rádio Comercial, pela TSF e pela Rádio Energia. Na Antena 1, realizou, em parceria com Pedro Rolo Duarte, o programa Hotel Babilónia, e assinou uma crónica diária, Pano Para Mangas, além de programas especiais dedicados a Nat King Cole, Pete Seeger e António Carlos Jobim, entre outros. Atualmente, divide com Margarida Pinto Correia a responsabilidade pelo programa Encontros Imediatos e, a solo, Bairro Latino. Na Antena 2, realizou e apresentou uma das séries de Caleidoscópio, dedicada aos compositores de bandas sonoras de filmes (Música Para Ver). Tenta aproveitar a qualidade de vida da Póvoa de Varzim, outra vez com vista para o mar.