Ouvir
Caleidoscópio
Em Direto
Caleidoscópio GRANDES COMPOSITORES NEGROS

Metropolitan

Met | Mozart | Così fan tutte | 7 Março | 18h00

Transmissão direta

|

Met | Mozart | Così fan tutte | 7 Março | 18h00 Met | Mozart | Così fan tutte | 7 Março | 18h00

7 Março | 18h00

Temporada Metropolitan Opera
de Nova Iorque        


Wolfgang Amadeus Mozart | Così fan tutte


Fiordiligi: Nicole Car (S)
Dorabella: Serena Malfi (MS)
Despina: Heidi Stober (S)
Ferrando: Ben Bliss (T)
Guglielmo: Luca Pisaroni (B)
Don Alfonso: Gerald Finley (B)

Coro e Orquestra do Metropolitan
Direção de Harry Bicket




Para ler mais sobre esta récita, clicar aqui.

 




Transmissão em direto
a partir de The Metropolitan Opera de Nova Iorque
Realização e Apresentação: André Cunha Leal
Produção: Susana Valente




Così fan tutte

Ópera em 2 atos

Música de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)
Libreto de Lorenzo da Ponte (1749-1838)

Esta é a antepenúltima ópera de Mozart. A composição desta ópera partiu de uma sugestão de José II de Áustria, imperador do Sacro-Império Romano-Germânico. O libreto foi destinado originalmente a Antonio Salieri, compositor italiano contemporâneo de Mozart, mas este só escreveu algumas partes do 1º ato, desistindo rapidamente do trabalho.
A encomenda a Mozart de Così fan tutte surge como consequência do sucesso obtido com a reposição de As Bodas de Figaro em Agosto de 1789, no Burgtheater em Viena.
A sua estreia ocorre também no Burgtheater, a 26 de Janeiro de 1790.

O tema de Così Fan Tutte era já bastante antigo no mundo da literatura, e pensa-se que Da Ponte terá sido influenciado por obras de Bocaccio, Shakespeare e Cervantes. É considerado um verdadeiro teste à constância dos amantes. 
 
Depois de interpretada pela primeira veza, Così fan tutte não foi bem recebida e até provocou escândalo. Beethoven referiu a frivolidade do enredo e, nas apresentações posteriores, os espetadores do século XIX, ficaram chocados com o cinismo de Cosi. O libreto chegou mesmo a ser reescrito algumas vezes, normalmente com o intuito de sugerir que Fiordiligi e Dorabela estavam simplesmente a fingir que acreditavam no esquema de Alfonso. Este embaraço impediu que a beleza da partitura fosse devidamente apreciada e, só a partir dos anos 60, com a abertura do debate acerca do comportamento sexual e da moralidade, é que esta ópera assumiu o lugar que merece ocupar no repertório.



Para saber mais sobre o argumento e os antecedentes desta ópera, clicar aqui.