Ouvir
Grande Auditório
Em Direto
Grande Auditório Reinaldo Francisco / Produção: Pedro Ramos

Argumentos de Óperas, Obra


Cosi fan tutte

Ópera em dois atos

Estreia
Burgtheater, Viena no dia 26 de Janeiro de 1790

Libreto
Lorenzo da Ponte

AntecedentesInterpretada pela primeira vez em Viena, em 1790, Così Fan Tutte é um verdadeiro teste à constância dos amantes. Este era já um tema bastante antigo no mundo da literatura, e pensa-se que Da Ponte terá sido influenciado por obras de Bocaccio, Shakespeare e Cervantes.

A encomenda de Così fan tutte surge como resultado do sucesso obtido com a reposição de As Bodas de Figaro em Agosto de 1789, no Burgtheater em Viena. Mozart começou a trabalhar em Così utilizando a sua casa para fazer os ensaios. Aí, reuniram-se uma série de amigos, entre os quais Mozart, Da Ponte e Joseph Haydn, para além dos cantores que incluíam, numa ironia digna do enredo de Così, nada mais do que a própria amante de Da Ponte, a soprano Adriana Ferrarese del Bene.

Depois de apresentada, Così escandalizou muita gente. Beethoven falava da frivolidade do enredo e, onde quer que fosse apresentada, os espectadores do século XIX, ficavam chocados com o cinismo de Cosi. O libreto chegou mesmo a ser reescrito diversas vezes, normalmente com o intuito de sugerir que Fiordiligi e Dorabela estavam simplesmente a fingir que acreditavam no esquema de Alfonso. Este embaraço impediu que a beleza da partitura fosse devidamente apreciada e, só a partir dos anos 60, com a abertura do debate acerca do comportamento sexual e da moralidade que o tenta reger, é que esta ópera assumiu o lugar que merece ocupar no repertório.

Resumo

Num café da Nápoles elegante do final do século XVIII, Don Alfonso, um velho aristocrata, céptico e estroina, está cansado de ouvir os seus jovens amigos oficiais, Ferrando e Guglielmo, a proclamarem as virtudes das respectivas amantes, as irmãs Fiordiligi e Dorabella. Don Alfonso resolve fazer uma aposta com Ferrando e Guglielmo, destinada a testar a força dos sentimentos das donzelas. Na certeza de que a fidelidade das duas irmãs não resistirá a uma separação, Don Alfonso obriga-os a ter que fingir terem sido chamados para o campo de batalha. De seguida, o aristocrata vai ter Fiordiligi e Dorabella a um jardim á beira-mar. Anuncia-lhes a partida dos dois amantes. Fiordiligi e Dorabella ficam destroçadas e despedem-se de Ferrando e Guglielmo com grande tristeza, afundando-se num estado de agitação romântica. Começa o jogo...

No pequeno salão das jovens, Despina, a criada, encoraja-as a aceitarem os acontecimentos com filosofia e a aproveitarem para se divertirem. Alfonso percebe que Despina pode ser uma boa aliada e envolve-a também no plano sem lho revelar. Apresenta às jovens dois nobres albaneses, seus conhecidos. "Ora... Divirtam-se!..." é este o conselho de Despina ... e é mesmo isso que Don Alfonso quer. Fiordiligi e Dorabella julgam os seus namorados longe e eles ali mesmo em frente delas, disfarçados de albaneses e prontos para provarem a fidelidade (ou a infidelidade) delas... A princípio, Fiordiligi e Dorabela confessam-se de coração destroçado e rejeitam as extravagantes atenções amorosas dos albanezes. Então, estes fingem desfalecer em frente delas, afirmando estar de tal modo desesperados que ingeriram veneno. São recuperados por Despina que surge disfarçada de médico.

Depois de julgarem os albaneses quase mortos, Fiordiligi e Dorabella ficaram tão aliviadas com a recuperação milagrosa dos dois que a sua antipatia começa a esbater-se. Incentivadas por Despina, decidem entrar no que pensam ser apenas um inocente jogo amoroso com os seus novos admiradores. As coisas começam a ficar sérias. Dorabella, a mais extrovertida das duas irmãs, troca medalhões com Guglielmo, o pretendente de Fiordiligi; esta, por sua vez, resiste um pouco mais, decidida a disfarçar-se de soldado e a seguir Guglielmo para o campo de batalha. Porém, quando Ferrando aparece e, talvez com sinceridade, lhe implora que não vá, também ela sucumbe. Os dois amantes percebem que Fiordiligi e Dorabella não resistiram á separação e ficam arrasados.

Don Alfonso encontra-se com Guglielmo e Ferrando e aconselha-os a não levarem muito a peito as inconstâncias dos corações de Fiordiligi e Dorabella: todas fazem o mesmo, diz ele... "Così fan tutte".

As irmãs concordam casar com os albaneses, e depois de Despina, agora mascarada de notário, elaborar um contrato, começam os festejos do matrimónio. Don Alfonso anuncia entretanto que Ferrando e Guglielmo regressaram inesperadamente da guerra. Os albaneses desaparecem, e Ferrando e Guglielmo aparecem em seu lugar. Fingem ficar chocados ao saber do contrato de casamento e juram matar os albaneses. As duas irmãs ficam muito envergonhadas, e só então Alfonso revela o estratagema. Ganhou a aposta! Não é claro se Fiordiligi e Dorabella regressam aos seus parceiros originais ou se se mantêm fiéis aos albaneses, mas todos concordam com a moral da história: "felizes são aqueles que se guião pela razão através das diversas provas da vida".