Pedro Carneiro na marimba e quarteto de cordas Arditti tocam compositores portugueses contemporâneos

| Cultura

O marimbista Pedro Carneiro e o quarteto de cordas Arditti actuam sábado no Centro Cultural de Belém (CCB) para interpretar um programa de compositores portugueses, incluindo, em estreia mundial, uma obra recente de Rui Penha.

Irvine Arditti e Ashot Sarkissjan (violinos), Ralf Ehlers (viola) e Lucas Fels (violoncelo)integram o Quarteto Arditti, considerado um dos agrupamentos dedicados à música contemporânea mais importantes da actualidade pela sua qualidade interpretativa.

Fundado em 1974 por Irvine Arditti, granjeou reputação internacional pela diversidade do repertório contemporâneo e pelo trabalho em estreita colaboração com os compositores.

Pedro Carneiro, que em Setembro apresentou o seu novo agrupamento - a Orquestra de Câmara Portuguesa, da qual é director artístico e maestro principal - tem vindo a desenvolver uma intensa actividade como concertista e chefe de orquestra a nível internacional.

Neste encontro entre a marimba, marimba microtonal (afinada em quartos de tom) e instrumentos de cordas, serão interpretadas obras de Pedro Carneiro - "Lentement, music boxers floating..." para violoncelo solo e "...e todo eu me levanto e todo eu ardo..." para marimba solo, e de Patrícia Almeida "Dulce Delirium", de João Pedro Oliveira "Espiral de Luz", e de António Pinho Vargas "Monodia, quasi un requiem", todas elas para quarteto de cordas.

Do programa constam ainda duas obras para marimba e quarteto de cordas, uma de Rui Penha - "Perspective", em estreia mundial - e de Luís Tinoco, "Ends Meet".

Em declarações à Agência Lusa, Rui Penha, 26 anos, monitor do departamento de comunicação e arte da Universidade de Aveiro, onde se licenciou em composição, indicou que a peça que estreará neste concerto "foi acabada há cerca de um mês, na sequência de um convite de Pedro Carneiro".

"Foi um grande desafio escrever esta peça a pensar num grupo com tanta tradição e importância como o Quarteto Arditti", referiu, acrescentando que o repertório actual para estes instrumentos "é quase inexistente".

"Perspective", segundo o músico, foi composta em cinco breves secções que reflectem sobre o próprio processo criativo, constituindo ao mesmo tempo "uma obra e uma análise da mesma e um comentário sobre a natureza de controlo e liberdade na composição".

Sobre as oportunidades para compor e interpretar música contemporânea, em Portugal, Rui Penha assinalou que "já existem muitos" agrupamentos "de qualidade, tais como a OrquestrUtópica e o Remix Emsemble, mas, por outro lado, continua a divulgar-se sobretudo os grandes clássicos, com pouco espaço para as obras mais recentes".

O maestro titular e co-director do Momentum Ensemble, grupo especializado em música contemporânea, observou, porém, que "começam a estar criadas as condições para que isso aconteça".

Co-produção do CCB e do Festival Internacional de Aveiro, o concerto decorrerá no pequeno auditório, às 21:00.

A informação mais vista

+ Em Foco

Cada um de nós tem uma história para contar e para partilhar. Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer a história de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.

    O ex-ministro da Defesa israelita Avigdor Lieberman acumulou diatribes ao longo da carreira política e nunca foge a uma polémica.

      Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

        Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.