Socialistas encurtam distância para a coligação na sondagem diária da RTP

| Eleições Legislativas 2015

|

Os socialistas continuam a encurtar distância para o PSD e CDS, com 34 por cento de intenção de voto face aos 39 da coligação. A sondagem diária da Universidade Católica para a RTP mostra ainda a interrupção de um ciclo de ascensão da CDU, que perde um ponto, para os dez por cento. Por outro lado, mantém-se esta quarta-feira, a quatro dias das eleições, o elevado número daqueles que “não sabem em quem votar” (34 por cento), o que coloca nas suas mãos o resultado do escrutínio de domingo.

Os resultados deste 13.º estudo da Católica para a RTP levam o centro de sondagens da universidade a concluir que a “coligação PSD/CDS-PP [se encontra] à frente do PS mas o intervalo tem estreitado nos últimos dias. Os resultados desta sondagem indicam que a Coligação PàF tem hoje mais intenções de voto do que o PS”. A equipa de inquiridores adverte ainda que “estes resultados não preveem o que vai acontecer nas eleições - apenas retratam o atual posicionamento dos portugueses (que, entretanto, poderá ou não mudar)”.

O relatório da Católica adverte contudo que “o limite mínimo do intervalo da coligação (35,8 por cento) é inferior ao limite máximo do PS (37,1 por cento). Isto significa que, embora pouco provável, a possibilidade de o PS ter neste momento mais intenções de voto não é excluída pelos resultados desta sondagem”.

O PS ensaia assim uma ligeira recuperação de um ponto percentual, o que eleva a intenção de voto nos socialistas para os 34 por cento. A distância para a PàF, que se mantém nos 39 por cento, é agora de cinco pontos percentuais.



Já a CDU (PCP-PEV), após um ciclo de subida, recua um ponto para os dez por cento. O Bloco de Esquerda, que na terça-feira também subira um ponto percentual, mantém esta quarta-feira os oito por cento.

Os outros partidos mantêm os cinco por cento e outros quatro por ceno dos inquiridos voltam a entrar na categoria dos votos em branco ou nulos, o que leva a Católica a repetir uma frase utilizada desde os primeiros estudos: “Esta sondagem não encontra intenção de voto relevante (i.e., indicadora de eleição de deputados) para outros partidos”.



Esta sondagem foi realizada entre os dias 26 e 29 de setembro. Foram obtidos 1.070 inquéritos válidos. A margem de erro é de três por cento.
Indecisos mantêm relevância

A estimativa de resultados eleitorais é obtida calculando as intenções diretas de voto em cada partido em relação ao total de votos válidos e redistribuindo indecisos com base numa segunda pergunta sobre a intenção de voto.

O número de indecisos perdeu um ponto para serem agora 26 por cento; oito por cento não respondem, o mesmo que na véspera. No entanto, o total destes dois grupos continua a situar-se nos 34 por cento.



“A percentagem de pessoas que dizem que vão votar mas que não sabem em quem votar ou não querem dizer é agora de 34 por cento”, nota o relatório da Católica.
Intenção direta de voto

A recuperação dos socialistas faz-se notar de forma mais evidente no capítulo da intenção direta de voto: o PS ganha um ponto e chega aos 20 por cento; a coligação PSD/CDS-PP perde um ponto para ter 29 por cento.



De registar a descida de um ponto do BE e dos “Outros” em relação à véspera, para terem agora quatro e três por cento, respetivamente.
Sondagens diárias

Esta é a 13ª sondagem de uma série que a RTP divulga até ao final da campanha eleitoral. Estes estudos permitem avaliar dia a dia a evolução das intenções de voto e a tendência dos indecisos.

A amostra é inferior à de um barómetro.

O interesse deste tipo de sondagem (tracking poll) reside na observação das tendências de subida e descida de cada partido, mais do que a medição da percentagem das intenções de voto de cada um.


Ficha técnica

Esta sondagem foi realizada pelo CESOP – Universidade Católica Portuguesa para a RTP entre os dias 26 e 29 de setembro de 2015. O Universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente residentes em Portugal Continental em lares com telefones fixos. Foram obtidos 1070 inquéritos válidos, sendo 57% dos inquiridos mulheres, 31% da região Norte, 27% do Centro, 38% de Lisboa, 2% do Alentejo e 4% do Algarve. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição de eleitores residentes no Continente por sexo, escalões etários e região na base dos dados do recenseamento eleitoral e do Censos 2011. A taxa de resposta foi de 57%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1010 inquiridos é de 3%, com um nível de confiança de 95%.

* A taxa de resposta é estimada dividindo o número de inquéritos realizados pela soma das seguintes situações: inquéritos realizados, inquéritos incompletos e recusas.

Tópicos:

Legislativas, RTP, Universidade Católica Portuguesa, sondagem, Eleições,

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.