Primeiro-ministro húngaro vê refugiados como ameaça às "raízes cristãs" da Europa

| Fuga para a Europa

|

O primeiro-ministro húngaro considera que o fluxo de refugiados coloca em risco as raízes do Velho Continente e apela aos governos que controlem as fronteiras antes de decidirem a quantos pedidos de asilo devem responder. Viktor Orban aponta o dedo a Angela Merkel e diz que o fluxo de migrantes é "um problema da Alemanha".

Num artigo de opinião publicado no jornal alemão Frankfurt Allgemeine Zeitung, Viktor Orban, considera que os Executivos europeus estão a agir contra a vontade dos seus povos: "as pessoas querem que controlemos a situação e que consigamos proteger as nossas fronteiras". 

O primeiro-ministro considera que a proteção de fronteiras é essencial para que só depois se possa refletir nos sistemas de quotas e "no número de pessoas que podemos acolher".

Orban fala de uma "invasão" de refugiados, sobretudo muçulmanos. Situação que preocupa o governante, até porque, defende, "a Europa e a cultura europeia têm raízes cristas" e é "alarmante" o facto de os povos europeus não conseguirem "defender os próprios valores cristãos" acrescenta.
"O problema não é europeu, mas sim alemão"
A Hungria é um dos principais pontos de passagem entre os Balcãs e a Europa Ocidental, um ponto nevrálgico para migrantes e refugiados que aspiram à entrada no espaço Schengen e a um bilhete de comboio com a Áustria ou a Alemanha como destino. Por isso mesmo, Orban reitera que os migrantes e refugiados em transição pelas fronteiras europeias não procuram asilo na Hungria e "são problema da Alemanha".

Em conferência de imprensa esta manhã com o presidente do Parlamento Europeu, Martin Shulz, Viktor Orban considerou que "ninguém quer ficar na Hungria, Eslováquia , Estónia, Polónia. Todos (os migrantes) pretendem ir para a Alemanha". 

Para controlar o território, o parlamento húngaro aprovou em junho a construção de um muro de 175 quilómetros na fronteira com a Sérvia.  
 
Só durante o mês de agosto, as autoridades de Budapeste registaram a entrada de pelo menos 50 mil migrantes em território húngaro.

Tópicos:

Hungria, Refugiados, Viktor Orban, Migrantes,

A informação mais vista

+ Em Foco

Apesar de terem passado pouco mais de 24 horas desde a partida de Cabo Canaveral, no espaço os minutos para Neil, Edwin e Michael parecem horas.

    Ouvido pela RTP, o artista chinês mostra-se convicto de que Hong Kong e Macau não serão, no futuro, controlados pela China.

    Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.