Nota de Educação Fisica poderá voltar a contar para acesso ao ensino superior

| País

O Ministério da Educação (ME) ainda está a analisar a possibilidade de a avaliação da disciplina de Educação Física voltar a ser contabilizada para a média de acesso ao ensino superior e conclusão do secundário.

Com o objetivo de valorizar a disciplina de educação física, o ME está a trabalhar em parceria com as associações de professores daquela área sobre a gestão do currículo da disciplina.

"Depois desta ampla discussão sobre a gestão do currículo no seu todo, qualquer alteração que eventualmente se possa produzir só terá efeito - para os alunos que entrarem no décimo ano - após a publicação da legislação relevante", explicou à Lusa o Ministério da Educação.

Assim, caso a medida avance, será aplicada de forma gradual: num primeiro ano apenas aos alunos que frequentam o 10.º ano; no seguinte, aos do 10.º e 11.º e, finalmente, aos três anos do ensino secundário.

A decisão de a nota de Educação Física deixar de contar foi decidida pelo anterior ministro da Educação, Nuno Crato, que manteve o peso da disciplina apenas para os alunos da área.

O eventual regresso ao anterior sistema foi conhecido este fim de semana durante o SIMPÓSIO + (Mais) EXERCÍCIO, > (Maior) SUCESSO ESCOLAR, M3 (Melhor) FUTURO, durante o qual vários especialistas sublinharam a importância do exercício físico para a melhoria das funções executivas e cognitivas dos alunos.

A Educação Física, por ser uma disciplina curricular e por se estender desde o pré-escolar até ao 12.º ano, acaba por ser a única forma de chegar a todas as crianças e jovens.

No entanto, vários especialistas têm alertado para as falhas que existem em muitas escolas do 1.º ciclo e para a desvalorização de que foi alvo no ensino secundário.

Entre os especialistas presentes no simpósio, houve quem tivesse reforçado o valor do desporto no combate à indisciplina e na promoção do sucesso escolar.

Na Dinamarca, por exemplo, os alunos de todas as escolas públicas do ensino obrigatório têm, no mínimo, 45 minutos diários de atividade física.

Tópicos:

SIMPÓSIO +,

A informação mais vista

+ Em Foco

Nos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o ministro dos Negócios Estrangeiros considera que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos organizados dispostos a explorar os populismos.

    Segundo um relatório da Amnistia Internacional, o número de mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal continua elevado.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        O processo de degelo na Gronelândia acelerou substancialmente nas últimas décadas. Os investigadores alertam para o perigo da subida do nível da água do mar.