Jóias contemporâneas portuguesas no diálogo de verão da Coleção Moderna da Gulbenkian

| Cultura

A iniciativa "Convidados de Verão", da Fundação Calouste Gulbenkian, vai apresentar, a partir de sexta-feira, um conjunto de joias contemporâneas, produzidas em Portugal, que estabelecem uma relação com a Coleção Moderna do museu, anunciou hoje a fundação.

Peças de joalharia portuguesa, produzidas por artistas representados na coleção do museu, como Jorge Vieira, Paula Rego, Hans Semke, Escada, José Aurélio, Maria José Oliveira, Vitor Pomar e Pedro Calapez, constituem a proposta da curadora Cristina Filipe, para a 3.ª edição da iniciativa.

Numa mesma mostra conjugam-se nomes da arte contemporânea portuguesa com criadores que marcaram a história da joalharia em Portugal, como a escultora Margarida Shimmelfennig, o escultor e joalheiro Alberto Gordillo e Kukas (Maria da Conceição de Moura Borges), designer de joalharia de autor.

A convite da fundação, Cristina Filipe foi desafiada "a estabelecer relações entre joias contemporâneas e as obras da Coleção Moderna e de René Lalique", explica a curadora.

"A proposta traduz o modo como a joalharia contemporânea acompanhou as transformações das artes plásticas, demarcando-se do campo das artes decorativas e aplicadas, no qual esteve integrada ao longo da história das artes", acrescenta.

Entre as joias e as obras da coleção, Cristina Filipe estabelece ligações cronológicas, simbólicas, formais, concetuais, afetivas, temáticas e geracionais.

"Algumas destas relações ultrapassam o espaço expositivo, sendo múltiplas as afinidades pré-existentes entre os artistas da Coleção e os convidados. Desde o artista escultor, pintor ou outro que também inclui joias na sua obra, alguns de um modo mais intimista, outros de um modo mais declarado", menciona a curadora, na apresentação da mostra.

A exposição resulta de uma investigação, feita pela curadora, sobre a joalharia contemporânea existente em Portugal, entre 1963 e 2004.

A iniciativa "Convidados de Verão" tem procurado, nos últimos três anos, propor novas leituras das exposições permanentes do Museu Gulbenkian.

Inserido nesta iniciativa, o cineasta Joaquim Sapinho apresentou, no ano passado, obras e objetos pessoais de Calouste Gulbenkian, na Coleção Moderna do Museu.

No ano anterior, a Coleção do Fundador e o Jardim de Verão envolveram peças de artistas como Asta Gröting, Bela Silva Diogo Pimentão, Fernanda Fragateiro, Francisco Tropa, Miguel Branco, Miguel Palma, Patrícia Garrido, Pedro Cabral Santo, Rui Chafes, Susanne Thelmlitz, Vasco Araújo, Wiebke Siem e Yael Bartana.

A exposição "Joalharia Contemporânea em Portugal" vai poder ser visitada até ao dia 16 de setembro, no Museu Calouste Gulbenkian, nas salas da Coleção Moderna e na sala Lalique da Coleção do Fundador.

Tópicos:

Asta Gröting Bela Diogo Pimentão Fernanda Fragateiro, Calouste Gulbenkian, Chafes Susanne Thelmlitz, Coleção Moderna Gulbenkian, Conceição Moura, Cristina, Gordillo, Gulbenkian, Jardim, Lalique Coleção, Palma Patrícia Garrido Pedro Cal, Rego Hans Semke Escada, Sapinho,

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.