Greve provoca açambarcamento nas bombas de combustíveis

por RTP

Foto: João Relvas, Lusa

Os condutores entupiram os postos e em algumas zonas o gasóleo esgotou. As filas chegaram a ter mais de 50 carros e uma espera de hora e meia.

Há os que são apanhados de surpresa e outros que já fizeram uns quilómetros para conseguir atestar o carro, bombas cheias e filas que se prolongam no tempo.

Em alguns pontos de Lisboa, os postos de abastecimento estão no limite, alguns já esgotados – o reflexo de um país que vive o caos, com uma corrida às bombas.

A Sul, alguns pontos Já chegaram ao fim. Noutros, a espera é tanta que nem vale a pena ligar o carro. Há quem espere quase hora e meia na esperança de conseguir alguma gotinha.

A Norte as mesmas preocupações. Mais abaixo, em Coimbra, a confusão.

O protesto dos motoristas de matérias perigosas foi convocado para exigir melhorias salariais e alterações na carreira.

Há mais de 24 horas que a greve dura – o suficiente para algumas gasolineiras dizerem que as reservas não passam desta terça-feira.
O INEM apela aos condutores que deem prioridade ao abastecimento das ambulâncias nas bombas de gasolina.
pub