Rendas EDP. Luís Amado diz que o caso tem servido como arma de arremesso político

por RTP

O Presidente do Conselho Geral e de Supervisão da EDP diz que o caso das rendas excessivas está a desgastar a empresa. E que tem serviço de arma de arremesso político na campanha eleitoral.

Em entrevista à Antena 1 e Jornal de Negócios, Luís Amado assume ainda que a EDP poderá vir a reduzir a presença em Portugal.
pub