Explosões em Isfahan descritas como aparente retaliação "limitada"

por RTP

  • Altos responsáveis de Washington, citados por diferentes órgãos de comunicação internacionais - entre os quais BBC, The Guardian, CNN ou The Times of Israel - confirmam que as Forças de Defesa de Israel levaram a cabo, nas últimas horas, bombardeamentos sobre solo iraniano. Isto depois de a Administração Biden ter sido avisada pelo Governo israelita da iminência de uma retaliação pelo ataque concretizado no passado fim de semana pelo Irão. De acordo com a norte-americana CNN, Telavive terá assegurado a salvaguarda dos complexos nucleares da República Islâmica;


  • Ouvidas pelo jornal norte-americano The New York Times, três fontes iranianas adiantaram que a base aérea de Isfahan foi efetivamente atingida;


  • Os media estatais do Irão adiantam, por sua vez, que foram acionadas baterias antiaéreas na sequência de explosões próximas da importante base aérea localizada na região de Isfahan, acrescentando, mais tarde, que foram derrubados drones naquela província;


  • É também em Isfahan que se localizam alguns dos mais importantes complexos do programa nuclear do Irão, incluindo a central de enriquecimento de urânio de Natanz. A televisão estatal iraniana veio já frisar que estas estruturas estão "totalmente seguras";


  • As transportadoras aéreas do Dubai Emirates e FlyDubai começaram a desviar voos do oeste do Irão pelas 4h30 locais (2h00 em Lisboa), sem facultarem justificações. Mais tarde, as autoridades iranianas vieram anunciar a suspensão de voos sobre algumas cidades;


  • As tensões entre Israel e o Irão seguem em crescendo desde o passado fim de semana, quando a República Islâmica levou a cabo o primeiro ataque direto a Israel com recurso a centenas de drones e mísseis de cruzeiro - uma resposta ao ataque de 1 de abril contra o consulado iraniano na capital síria, Damasco, que causou as mortes de nove responsáveis, entre os quais patentes dos Guardas da Revolução;


  • Na quinta-feira, em declarações à CNN, o ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros reiterava que qualquer retaliação israelita levaria o regime a responder de imediato. "A nossa resposta será decisiva, definitiva e penosa para eles", ameaçava Hossein Amir-Abdollahia.
pub