Comandante supremo da NATO responde publicamente a Donald Trump

| Mundo

|

O general norte-americano Curtis Scaparrotti, comandante-supremo da NATO, reagiu duramente às acusações que o presidente lançara contra a modéstia da contribuição alemã para a Aliança.

Scaparrotti, citado no site alemão Die Zeit, tem em comum com o ponto de vista de Trump a convicção de "os investimentos [na NATO] são muito importantes, porque vivemos num outro mundo. As exigências com que estamos confrontados, em matéria de rapidez e capacidades, tornam necessários estes investimentos".

E, tal como Trump, também considera que existem "défices de capacidade". Mas está confiante em que esses défices serão supridos em consonância com os planos de cada país, e que "a Alemanha o fará".

Isto porque, segundo Scaparrotti, "a Alemanha é uma excelente aliada", que está em segundo lugar, logo a seguir aos Estados Unidos, entre os países que mais tropas colocam à disposição da NATO. O comandante-supremo da Aliança destacou em especial o papel da Alemanha na actividade da NATO nos países bálticos e no Afeganistão.

E recusou-se a limitar a discussão ao problema financeiro: "Realmente, há outras coisas para além da diferente distribuição do ónus [financeiro]. Na Aliança, nós sabemos qual é a contribuição da Alemanha, quais são as capacidades que ela nos traz".

O general manifestou, enfim, o seu contentamento pela decisão tomada na cimeira da NATO, no sentido de instalar na cidade alemã de Ulm um centro de comando logístico da Aliança.


A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.