Estudantes voltam às ruas da capital da Argélia contra "truque" de Bouteflika

| Mundo

Várias centenas de estudantes manifestam-se hoje no centro de Argel, apesar dos anúncios da véspera de Abdelaziz Bouteflika, qualificados de "truque" do poder visando prolongar por tempo indeterminado o quarto mandato do chefe de Estado.

"Os estudantes resistem ao prolongamento do 4.º mandato", gritam os manifestantes agitando bandeiras, constataram jornalistas da agência France-Presse.

"É preciso salvar o povo, não o poder", "Nenhum truque, Bouteflika", gritam ainda os estudantes, que se manifestam pela terceira terça-feira consecutiva, após apelos nas redes sociais.

O logótipo da contestação inicial iniciada a 22 de fevereiro contra um 5.º mandato -- um sinal de proibido com um 5 -- já foi mudado e o número é agora o 4, contra o prolongamento do atual mandato do presidente Bouteflika.

Confrontado com uma contestação inédita desde a sua eleição para a presidência há 20 anos, o chefe de Estado anunciou na segunda-feira que não vai disputar um quinto mandato e adiou as presidenciais de 18 de abril.

Prolongou assim o seu mandato `sine die` até a um próximo escrutínio, com data a fixar por uma "Conferência Nacional", cujos trabalhos podem durar até ao final do ano.

A França, antiga potência colonial, saudou hoje pela voz do presidente Emmanuel Macron a decisão "do presidente Bouteflika, apelando a "uma transição de duração razoável".

A mobilização estudantil de hoje será a primeira indicação do sucesso ou fracasso do anúncio do chefe de Estado para acalmar a contestação.

Estão previstas concentrações de estudantes noutras cidades, entre as quais Annaba (nordeste), e os alunos apelaram ainda a manifestações nos diferentes campus.

Bouteflika prometeu não voltar a candidatar-se à Presidência, dando como justificação a sua saúde e idade. Com 82 anos, raramente tem sido visto em público desde um acidente vascular-cerebral em 2013, fazendo aumentar a frustração da população pelo seu evasivo estilo de liderança.

Na segunda-feira a agência noticiosa oficial APS informou ainda que Noureddine Bedoui, até agora ministro do Interior, foi designado primeiro-ministro em substituição de Ahmed Ouyahia, também muito contestado durante as mais de duas semanas de manifestações.

Bedoui será acompanhado por um vice-primeiro-ministro, Ramtane Lamamra, também nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros (posto que ocupou entre 2012 e 2017) na tarefa de formar um novo governo, acrescentou a APS.

 

Tópicos:

Annaba, Argélia,

A informação mais vista

+ Em Foco

A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

Mação, que ardeu no mês passado, era apontado como o concelho modelo na prevenção de incêndios. Nada impediu que o fogo voltasse.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.