EUA dizem que não vão financiar reconstrução da Síria enquanto Irão estiver presente

| Mundo

|

Os Estados Unidos anunciaram na quarta-feira que não vão financiar a reconstrução da Síria, em guerra desde 2011, enquanto as forças iranianas e os soldados apoiados por Teerão não abandonarem o país

"Temos sido claros: se a Síria não garantir a retirada total das forças apoiadas pelo Irão, não receberá um único dólar dos Estados Unidos para a reconstrução", afirmou o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

A administração norte-americana quer uma resolução política e pacífica depois de sete anos de conflito, que já causou mais de 360.000 mortos e mais de um milhão de feridos, bem como "a retirada das forças iranianas na Síria", defendeu Pompeo

"Hoje o conflito na Síria está a virar", afirmou, durante um discurso no Instituto Judaico de Segurança Nacional da América, reiterando que o regime de líder sírio, Bashar al-Assad, reforçou o seu controlo "no terreno "graças à Rússia e ao Irão".

O grupo extremista Estado Islâmico "embora ainda não completamente erradicado, é agora uma sombra de si mesmo", apontou.

Mais de cinco milhões de sírios abandonaram o seu país desde o início do conflito e milhões de outros estão deslocados na Síria.

Tópicos:

Síria,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

      Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.