Governo australiano vai manter fronteiras fechadas até 2022

por Lusa
Nos aeroportos australianos o regresso ao movimento normal só em 2022 D.R.-Twitter

O governo australiano vai manter as fronteiras internacionais fechadas até 2022 devido a incertezas sobre vacinas e novas estirpes, disse o ministro das Finanças do país, Simon Birmingham, numa entrevista publicada esta quinta-feira.

"As incertezas sobre a velocidade da vacinação e a sua eficácia contra diferentes variantes da covid-19, bem como a sua duração e a sua eficácia, são considerações que significam que não vamos abrir as fronteiras de uma só vez no início do próximo ano muito facilmente", disse Simon Birmingham, ao jornal The Australian.

A Austrália, que fechou as fronteiras internacionais em março de 2020, vive há meses uma relativa normalidade, interrompida apenas por confinamentos rápidos e abruptos na sequência de surtos causados por falhas nos protocolos de quarentena em centros para residentes que regressam.

O governo australiano também proibiu, desde a semana passada, a entrada de cidadãos da Índia e desde segunda-feira ameaçou mesmo impor multas e penas de prisão aos que tentassem regressar daquele país, o que deu início a uma batalha judicial para provar a ilegalidade da medida.

A abertura das fronteiras internacionais é uma das preocupações dos imigrantes na Austrália, onde, segundo o último censo nacional em 2016, metade dos 25 milhões de pessoas do país nasceram no estrangeiro ou têm pelo menos um progenitor de outros países.

Por enquanto, a Austrália tem uma bolha de viagem com a Nova Zelândia, que tem permitido viagens nos dois sentidos sem quarentena desde 18 de abril, e está a contemplar acordos semelhantes com Singapura e Hong Kong.

Mas um dos maiores problemas do governo de Morrison são os atrasos na vacinação, devido a problemas como as exportações ou efeitos secundários, o que resultou na distribuição até à data de cerca de 2,5 milhões de doses, muito aquém dos quatro milhões previstos até final de março.
pub