"Há muito que era percetível a tensão entre forças armadas e o poder político no Zimbabué"

| Mundo
Há muito que era percetível a tensão entre forças armadas e o poder político no Zimbabué

Foto: Philimon Bulawayo - Reuters

O comentador de assuntos africanos da Antena 1, José Gonçalves, considera que há muito tempo que era percetível a tensão entre as forças armadas e o poder político no Zimbabwe.

Robert Mugabe está em prisão domiciliária, mas o presidente do Zimbabué encontra-se bem.

É o que assegura o presidente sul-africano, Jacob Zuma, que diz ter falado esta manhã com Mugabe.

Depois de uma noite agitada, durante a qual o exército do Zimbabué deteve o presidente do país e também a mulher.

A agência de notícias Associated Press chama-lhe uma transição política, sem derramamento de sangue, citando os apoiantes dos militares.

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.