Presidente do grupo sul-coreano LG morre aos 73 anos

| Mundo

O presidente do grupo sul-coreano LG, Koo Bon-moo, morreu aos 73 anos depois de vários dias hospitalizado em estado grave, anunciou hoje a empresa.

Koo, que estava internado no Hospital da Universidade Nacional de Seul, tinha sido submetido desde abril de 2007 a duas cirurgias relacionadas com um tumor cerebral, de acordo com os media sul-coreanos.

Koo Bon-moo era neto de Koo In-hwoi, fundador em 1947 e 1958, respetivamente, da empresa química Lucky 1947 e da eletrónica Goldstar.

As duas empresas fundiram-se em 1995 e o nome do grupo, considerado o quarto maior da Coreia do Sul, passou a ser LG (as siglas de ambas).

Perante o estado crítico, a administração da LG reuniu-se em 17 de maio para tratar da sucessão e apontou o filho, Koo Gwang-mo como a pessoa indicada para tomar as rédeas do grupo, que inclui o gigante de eletrónica LG Electronics.

"Koo Gwang-mo (de 40 anos) tem prática suficiente no negócio e já tem uma vasta experiência graças ao seu cargo de gestor estratégico", refere a empresa num comunicado.

A eleição do novo presidente terá lugar em 29 de junho, durante a assembleia-geral anual de acionistas.

Tópicos:

Koo In, LG Koo Bon, LG Electronics Koo Gwang,

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.