Reformistas lideram contagem para presidência tripartida da Bósnia-Herzegovina

por Lusa
Os resultados preliminares das eleições gerais na Bósnia-Herzegovina apontam para a vitória de dois reformistas na presidência do país D.R.

Os resultados preliminares das eleições gerais, de domingo, na Bósnia-Herzegovina, apontam para a vitória de dois reformistas na presidência do país, dividida entre bósnios, sérvios e croatas.

Os candidatos Denis Becirovic e Zeljko Komsic deverão conquistar os respetivos lugares na presidência tripartida da Bósnia e da Croácia, indicou a Comissão Eleitoral Central (CIK), citada pela agência de notícias Associated Press.

No entanto, aos reformistas deverá juntar-se Zeljka Cvijanovic, a candidata do SNSD, o mais forte partido sérvio bósnio, secessionista e pró-russo. Na presidência tripartida, será a primeira mulher a ocupar o cargo.

Se os resultados preliminares forem confirmados, Cvijanovic vai assumir a liderança do SNSD, em vez de Milorad Dodik, que escolheu candidatar-se à presidência da Republika Srpska, a parte sérvia da Bósnia, em vez de um segundo mandato na presidência tripartida do país.

A participação dos eleitores foi de 50%, de acordo com os dados preliminares.

As eleições gerais de domingo na Bósnia-Herzegovina, dividida em duas entidades, centraram-se na corrida para a presidência colegial, e em particular na disputa para a liderança da Republika Srpska (RS), a entidade sérvia bósnia.

No escrutínio, 3,4 milhões de eleitores foram chamados a escolher os três novos membros da presidência tripartida do país - um bosnío [muçulmano], um sérvio e um croata bósnio - e ainda o presidente da RS, os 42 deputados da Câmara de Representante da Bósnia-Herzegovina, a Assembleia Popular (parlamento) da entidade sérvia, o parlamento da Federação da Bósnia-Herzegovina (que inclui bosníacos e croatas) e as assembleias dos dez cantões da federação.

Este complexo processo eleitoral foi herdado dos acordos de paz de Dayton, assinados em finais de 1995 para pôr fim a três anos e meio da violenta guerra civil no país. Os acordos promoveram a emergência das duas entidades e o reconhecimento dos "três povos constituintes".

Nos últimos meses, a situação económica degradou-se consideravelmente, num país pobre e com elevada taxa de desemprego, e emigração. Com a pandemia e a invasão russa da Ucrânia, o custo de vida e o preço da eletricidade aumentaram consideravelmente, mas com poucas medidas concretas avançadas pelos candidatos para ajudar a população a enfrentar o inverno.

 

Tópicos
pub