Venezuela restringe operações aéreas e encerra estradas devido a ciclone tropical

por Lusa
A Venezuela restringe operações aéreas e encerra estradas devido à aproximação do ciclone tropical D.R.

A Venezuela restringiu as operações aéreas e encerrou várias estradas devido à aproximação do ciclone tropical n.º 2, que nas próximas horas deverá tocar território venezuelano.

"A autoridade da aviação, em prol da segurança operacional, restringe as operações aéreas da aviação geral e privada. Também insta a aviação comercial a cumprir fielmente os procedimentos e protocolos estabelecidos no Manual de Segurança de Voo para Operadores", de acordo com um comunicado do Instituto Nacional de Aeronáutica Civil (INAC) venezuelano.

O documento justifica as restrições emitidas, em cumprimento das medidas ordenadas pelo governo.

"A República Bolivariana da Venezuela será possivelmente afetada pelo desenvolvimento do ciclone tropical n.º 2, que afeta os estados de Sucre, Nova Esparta, Anzoátegui, La Guaira, Distrito Capital, Arágua, Carabobo, Falcón e Zúlia", explicou o INAC.

Por outro lado, o ministro do Interior e Justiça da Venezuela, Remígio Ceballos, anunciou que várias estradas do país vão ser encerradas e pediu à população que fique em casa, mantenha a calma, devendo "identificar e fixar os objetos soltos, proteger as janelas e reforçar os tetos (das casas)" para a chegada do ciclone.

Deve também "desligar o equipamento elétrico, fechar as torneiras do gás, ter um 'kit' de primeiros socorros, um rádio e manter-se em contacto direto com as autoridades".

"Os organismos de Proteção Civil, em coordenação direta com os governadores e presidentes de câmaras municipais, vão garantir os abrigos necessários em cada estado para as pessoas das áreas de perigo iminente", explicou Ceballos, à televisão estatal.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, tinha pedido, na terça-feira, aos venezuelanos para se prepararem para vários fenómenos atmosféricos e climatológicos, que vão provocar abundantes chuvas e ventos fortes durante pelo menos cinco dias, a partir desta quarta-feira.

Maduro precisou que o mau tempo se fará sentir durante pelo menos cinco dias e pode prolongar-se até segunda e terça-feira, pedindo à população que tome medidas preventivas".

 

pub