Mulheres vítimas de violência são um problema no país

por Antena 1

O número de mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal continua elevado.

É o que revela um relatório da Amnistia Internacional em Portugal, a propósito dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, assinalados esta segunda-feira.

A Amnistia Internacional (AI) refere que, à semelhança do ocorrido pelo mundo, 2018 foi também o ano em que em Portugal a luta pela igualdade foi marcada pela defesa dos direitos das mulheres.

O documento acrescenta que em Portugal as mulheres continuam a ser as mais afetadas pela violência de género, segundo dados do Relatório Anual de Segurança Interna publicado em março passado.

O Relatório Preliminar do Observatório de Mulheres Assassinadas indica que o número de mulheres que foram assassinadas em contextos de intimidade ou relações familiares próximas foi este ano já superior ao registado em todo o 2017.

Para além da violência doméstica, a sobrelotação das prisões e a discriminação racial fazem parte deste relatório que analisa os direitos humanos no país, como revela a jornalista Ana Jordão.

Violência doméstica, desigualdade de género, sobrelotação nas prisões, problemas que constam no relatório da Amnistia Internacional sobre Portugal.