Academia de Belgrado premeia "Estoril" do escritor servo-português Dejan Tiago-Stankovic

| Cultura

Um "romance de guerra à portuguesa" é como o escritor sérvio, naturalizado português, Dejan Tiago-Stankovic define o seu livro "Estoril", um enredo político-policial, passado durante a II Guerra Mundial, no Palácio Hotel, galardoado pela Academia Sérvia.

Tradutor de autores portugueses para sérvio (José Saramago, Fernando Pessoa, José Cardoso Pires), e de escritores sérvios para português -- designadamente o prémio Nobel Ivo Andric ("A Ponte sobre o Drina", "O Pátio Maldito"), juntamente com Lúcia Stankovic --, foi através de um artigo sobre o Hotel Palácio Estoril, publicado há cerca de dez anos, que lhe surgiu a ideia deste romance.

"A história incluía nomes sonantes que passaram por Estoril nesses tempos: Jean Renoir, famílias Rothschild e Habsburgo, Eduardo VIII e Mrs. Simpson, Saint-Exupéry, o rei deposto de Roménia Carlos II, Salvador Dali, Marc Chagall, Zsa Zsa Gábor, o campeão mundial de xadrez russo Alexander Alekhine...", disse o escritor, em declarações à Lusa.

"Mas o que mais me intrigou foi o nome Dusko Popov, um espião e agente duplo que, assim conta a lenda, encontrou neste hotel Ian Fleming, que se encontrava numa viagem, [numa missão] dos serviços secretos britânicos. Fleming, alegadamente, sabia que Popov era espião e ficou tão bem impressionado pelo seu estilo boémio, esbanjador e mulherengo, que lhe serviu como inspiração para o famoso agente 007", acrescenta.

O próprio hotel foi cenário do filme de James Bond "Ao Serviço de Sua Majestade", realizado por Peter Hunt em 1969 e interpretado pela primeira e única vez pelo ator australiano George Lazenby.

Dejan, que atualmente vive entre Lisboa em Belgrado, iniciou então um trabalho de pesquisa, que confirmou a história. "Uns anos depois já sabia que tinha nas mãos um romance. Só faltava escrevê-lo".

O escritor e tradutor, com dupla nacionalidade sérvia e portuguesa, descreve assim um retrato muito particular de uma época de grande turbulência na Europa (1940-46), centrado num hotel "que inclui refugiados, serviços secretos de vários países beligerantes, a PVDE [que antecedeu a PIDE, de 1933 a 1945], personagens históricas, o povo português, personificado no pessoal do hotel, mas não tem uma única bala disparada", como assinala. "É um romance de guerra à portuguesa".

Natural de Belgrado, onde terminou o curso de arquitetura em 1991, hoje com 50 anos, Dejan Tiago-Stankovic abandonou o seu país, no início dos conflitos que destruíram a Jugoslávia, para se fixar, primeiro, em Londres e, depois, em Portugal, a partir de 1995. Casou-se com a portuguesa Lúcia Stankovic, viveu no norte do país, tiveram dois filhos, posteriormente fixou-se em Lisboa.

O apelido Tiago, explicou, foi por si adotado por também ser o dos seus filhos, e para "não se confundir" com a antiga "estrela" do futebol jugoslavo, Dejan Stankovic.

Agora, mais de duas décadas depois da chegada a Portugal, cerca de dez anos após a primeira ideia do romance, surgiu a recompensa. A Academia Sérvia de Ciências e Artes (SANU, fundada em 1841) decidiu atribuir ao romance "Estoril" o prémio Branko Copic, que será entregue a 16 de junho, na sede da instituição, em Belgrado.

Entre os membros do júri incluía-se o dramaturgo e argumentista Dusan Kovacevic, que, em 2005, foi designado embaixador da Sérvia em Lisboa.

"O romance já teve quatro edições em sérvio, desde novembro de 2015, e está a ser traduzido para inglês", revela o também autor de "De onde eu era já não sou e outros contos de Lisboa", publicado em 2012.

"Estoril" já possui uma versão em português, mas ainda não foi anunciada uma editora, precisa.

O livro é, em grande medida, centrado na intrigante personagem de Dusan "Dusko" Popov, que trabalhou para a inteligência militar britânica (MI6), sob o nome de código "Triciclo", após ter sido recrutado como "Ivan", pela congénere alemã Abwehr, no ativo entre 1920 e 1945.

Tópicos:

Belgrado, Drina, Dusan Kovacevic, George Lazenby, PIDE, Peter Hunt, Roménia II Salvador Dali, Rothschild Habsburgo VIII, Sérvia, Ti Stankovic,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.