Bienal de Gravura do Douro arranca hoje e homenageia Júlio Pomar

| Cultura

A Bienal Internacional de Gravura do Douro, que é inaugurada hoje, em Alijó, vai espalhar 1.300 gravuras, de artistas de 70 países, por seis concelhos e faz uma homenagem a Júlio Pomar, anunciou a organização.

O diretor e curador da Bienal de Gravura, Nuno Canelas, disse à agência Lusa que a 8.ª edição vai homenagear Júlio Pomar, que considerou ser "um dos maiores artistas portugueses de sempre e detentor de uma enorme obra gráfica representativa".

Pintor e escultor, nascido em Lisboa, em 1926, Júlio Pomar é um dos criadores de referência da arte moderna e contemporânea do país.

A exposição de homenagem ao artista plástico é inaugurada na quinta-feira, no Museu do Douro, na cidade de Peso da Régua.

A inauguração oficial da Bienal de Gravura realiza-se hoje, em Alijó, também com uma homenagem especial ao artista Daniel Humpesch.

A bienal prolonga-se até 31 de outubro e, este ano, conta com a com a participação de 604 artistas oriundos de 70 países e 1.300 gravuras, distribuídas por 17 exposições, que se espalharão pelos concelhos de Alijó, Chaves, Bragança, Peso da Régua, Sabrosa, Vila Real.

As exposições vão ocupar espaços como a quinta do Portal, a igreja matriz de Alijó, museus, teatros, bibliotecas e espaços culturais como o Miguel Torga, em São Martinho de Anta (Sabrosa).

Nuno Canelas destacou ainda o `workshop` de "Gravura não tóxica", a realizar-se de sábado ao dia 16, com a participação de 25 artistas oriundos de todo mundo.

O responsável frisou que, mais uma vez, a bienal acontece num "contexto difícil", destacando, porém, ter sido "possível fazer uma edição ainda melhor do que a anterior".

"Não é fácil com os apoios que cada vez são inferiores. Em termos artísticos temos uma excelente bienal", salientou.

A Bienal Internacional de Gravura do Douro nasceu em 2001, pelas mãos de Nuno Canelas, natural de Alijó, com a ambição de descentralizar a cultura e promover a arte da gravura.

Tópicos:

Alijó, Anta Sosa, Bienal Gravura,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    Em entrevista à RTP, Santana Lopes defendeu que o estado de graça do Governo de esquerda acabou.

    Entrevistado na RTP, Rui Rio não afastou a possibilidade de um bloco central com o PS em condições extraordinárias.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.