Bienal de Gravura do Douro arranca hoje e homenageia Júlio Pomar

| Cultura

A Bienal Internacional de Gravura do Douro, que é inaugurada hoje, em Alijó, vai espalhar 1.300 gravuras, de artistas de 70 países, por seis concelhos e faz uma homenagem a Júlio Pomar, anunciou a organização.

O diretor e curador da Bienal de Gravura, Nuno Canelas, disse à agência Lusa que a 8.ª edição vai homenagear Júlio Pomar, que considerou ser "um dos maiores artistas portugueses de sempre e detentor de uma enorme obra gráfica representativa".

Pintor e escultor, nascido em Lisboa, em 1926, Júlio Pomar é um dos criadores de referência da arte moderna e contemporânea do país.

A exposição de homenagem ao artista plástico é inaugurada na quinta-feira, no Museu do Douro, na cidade de Peso da Régua.

A inauguração oficial da Bienal de Gravura realiza-se hoje, em Alijó, também com uma homenagem especial ao artista Daniel Humpesch.

A bienal prolonga-se até 31 de outubro e, este ano, conta com a com a participação de 604 artistas oriundos de 70 países e 1.300 gravuras, distribuídas por 17 exposições, que se espalharão pelos concelhos de Alijó, Chaves, Bragança, Peso da Régua, Sabrosa, Vila Real.

As exposições vão ocupar espaços como a quinta do Portal, a igreja matriz de Alijó, museus, teatros, bibliotecas e espaços culturais como o Miguel Torga, em São Martinho de Anta (Sabrosa).

Nuno Canelas destacou ainda o `workshop` de "Gravura não tóxica", a realizar-se de sábado ao dia 16, com a participação de 25 artistas oriundos de todo mundo.

O responsável frisou que, mais uma vez, a bienal acontece num "contexto difícil", destacando, porém, ter sido "possível fazer uma edição ainda melhor do que a anterior".

"Não é fácil com os apoios que cada vez são inferiores. Em termos artísticos temos uma excelente bienal", salientou.

A Bienal Internacional de Gravura do Douro nasceu em 2001, pelas mãos de Nuno Canelas, natural de Alijó, com a ambição de descentralizar a cultura e promover a arte da gravura.

Tópicos:

Alijó, Anta Sosa, Bienal Gravura,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    Quase seis décadas depois, a Presidência de Cuba deixou de estar nas mãos de um membro do clã Castro.

    Porto Santo tem em curso um projeto para se transformar na primeira ilha do planeta livre de combustíveis fósseis.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.