Carlos do Carmo e Xutos e Pontapés no festival de Macau

| Cultura

O fadista Carlos do Carmo e o grupo rock Xutos e Pontapés representam Portugal na vigésima edição do Festival Internacional de Música de Macau, que este ano apresenta 28 actuações, do jazz à pop tradicional chinesa.

Entre 06 de Outubro e 05 de Novembro muitos artistas locais, do continente chinês, da Europa e dos Estados Unidos, sobem aos vários palcos "montados" para o Festival de Música em locais como a Igreja de São Domingos, Teatro D. Pedro V e Fortaleza do Monte, monumentos classificados como Património da Humanidade.

Na apresentação do evento, os responsáveis do Instituto Cultural de Macau sublinharam que a tradição do festival obriga a que a vigésima edição se inicie com uma "dose extra de romantismo". Neste quadro, o pianista chinês Lang Lang interpretará Chopin e Tchaikovsky no Centro Cultural de Macau, num programa que contará também com a participação da Orquestra de Macau dirigida pelos maestros Pang Ka Pang e En Shao.

Carlos do Carmo vai subir ao palco do Teatro D. Pedro V nas noites de 11 e 12 de Outubro, enquanto os Xutos e Pontapés têm actuação marcada para 27 de Outubro nos lagos Nam Van, um espaço aberto capaz de cativar a presença de muitos jovens das escolas locais.

Entre os nomes sonantes da música que irão percorrer o festival de Macau conta-se também Ryuichi Sakamoto, que faz a sua estreia no território acompanhado do jovem alemão Alva Noto, numa actuação agendada para 18 de Outubro na Fortaleza do Monte.

Uma das tradições do festival é a ópera, este ano cantada em três noites do Centro Cultural - 13,14 e 15 de Outubro. Constam do programa a Cavalleria Rusticana, de Mascagni, e I Pagliacci, de Leoncavallo, na interpretação de artistas norte-americanos e de Macau.

Outro dos destaques do festival é a actuação do pianista francês Richard Clayderman, na Fortaleza do Monte, a 08 de Outubro, num espectáculo que antecede a subida ao palco do grupo chinês Feng Huang.

Ao longo das noites do festival muitos nomes irão subir ao palco como o Shanghai Quartet de Nova Iorque, que actuará no Teatro D.

Pedro V no dia 10 de Outubro, seis dias antes da interpretação de música barroca, no mesmo palco, pela orquestra alemã Musica Antiqua Koln (Colónia).

A sinfonia dos Mil, composta no início do século passado por Gustav Mahler, vai encher a noite de 20 de Outubro nos lagos Nam Van interpretada por sete solistas, três orquestras e quatro coros de Macau, do continente chinês e de Taiwan.

No campo regional, a estrela pop de Hong Kong Paula Tsui entra a 22, 23 e 24 de Outubro no Grande Auditório do Centro Cultural para actuar com a Orquestra Chinesa de Macau.

Actuações da Filarmónica e Ópera de Berlim, Batavia Madrigal Singers, Orchestra Ensemble Kanazawa, Orchestra Instant Composers Pool e Vienna Symphony Virtuosi integram igualmente o programa do festival, que vai animar as noites do Outono de Macau quando a cidade estiver também em festa com os Jogos da Lusofonia em que participarão centenas de atletas dos países e territórios de expressão portuguesa.

O Festival Internacional de Música de Macau termina com um musical - Guys And Dolls - uma produção da Brodway.

Como é tradição do festival de Macau, ao longo de cerca de um mês serão promovidos "workshops" sobre os eventos e alguns dos ensaios dos artistas serão abertos ao público.

A informação mais vista

+ Em Foco

Várias organizações de defesa dos Direitos Humanos exigem uma investigação rigorosa.

A morte do advogado foi conhecida há dois anos, no Natal, mas existem vários indícios de que a possa ter simulado.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.