Mais de 11 mil pessoas viram o 13.º Festival Temps D´Images em Lisboa

por Lusa

Lisboa, 01 fev (Lusa) - A programação da 13.ª edição do Temps D`Images, festival transdisciplinar que terminou em janeiro, atraiu 11.290 pessoas, aos cerca de 30 espetáculos, conferências e projeções, anunciou hoje a organização.

O festival abriu em outubro do ano passado, com "Amor e Política", de Maria Gil e Miguel Bonneville, e decorreu até ao final de janeiro último, tendo apresentado duas novas secções, dedicadas à nova dramaturgia e à vídeo arte.

Nesta edição, o Temps D`Images apresentou "O Lugar do Olhar", um `open call`, que, em parceria com o Teatro Nacional D. Maria II, teve como objetivo apoiar e promover novos artistas e novas dramaturgias.

A outra secção foi o Loops.Lisboa, uma nova competição que, em parceria com o Museu do Chiado, procurou divulgar a essência da linguagem do cinema e da vídeo arte, através do convite para a investigação do conceito de `loop`, a artistas portugueses e estrangeiros, residentes em Portugal.

De acordo com a organização, a nova secção dedicada às dramaturgias obteve 58 candidaturas, e o Loops.Lisboa, 117.

Conferências e competições de cinema e de `artes performativas` fizeram parte de um programa que reuniu projetos da dança ao teatro, dos estaleiros criativos ao cinema e instalação, em vinte locais de Lisboa, ao longo de cem dias.

Ágata Pinho, Alexandre Pieroni Calado, Andresa Soares, Barbara Matijevic, Capicua, Carlota Lagido, Elmano Sancho, Giuseppe Chico, Gustavo Ciríaco, Joana Pimenta, Jonas Lopes, Mara Castilho, Maria Gil, Mariana Tengner Barros, Miguel Bonneville, Pedro Manuel, Ricardo Cabaça, Rui Catalão, Sónia Batista, Tiago Cadete e Vitalina Sousa foram alguns dos artistas que participaram nesta edição.

A programação percorreu o Teatro Nacional D. Maria II, os teatros municipais São Luiz e Maria Matos, o Teatro da Politécnica, o Espaço Alkantara, o espaço Cão Solteiro, Centro Cultural de Belém, Clube Estefânia, Museu do Chiado, Carpe Diem - Centro de Arte e Pesquisa, Universidade Católica, LX Factory, Negócio ZBD (Zé Dos Bois), Teatro Taborda e Appleton Square.

O Temps D`Images, em Lisboa desde 2003, mantém como objetivos aproximar artistas, em encontros e discussões criativas, e possibilitar a visibilidade e circulação dos trabalhos apresentados através de parcerias, nacionais e internacionais.

A programação foi assinada por António Câmara Manuel, diretor do festival, com programadores e diretores artísticos, das diferentes entidades envolvidos, Aida Tavares, Alisson Avila, Emília Tavares, Irit Batsry, Jorge Salavisa, Jorge Silva Melo, Lourenço Igreja, Madalena Wallenstein, Mark Deputter, Maria Furtado, Tiago Rodrigues e Thomas Walgrave.

Tópicos