Universidade de Coimbra, Alta e Sofia são património mundial

| País

|

A Universidade de Coimbra, a Alta e a Sofia foram classificadas como património mundial, na reunião da UNESCO que está a decorrer em Phnom Penh, no Camboja.

Numa nota enviada à Lusa, o reitor da UC, João Gabriel Silva, afirma que "mais do que o reconhecimento do valor arquitetónico do complexo universitário de Coimbra, esta decisão da UNESCO sublinha o valor universal da cultura e da língua portuguesas e reconhece o papel central que Portugal teve na formação do Mundo, tal como hoje o conhecemos".

O comunicado realça ainda que, para comemorar a inscrição da Universidade de Coimbra -- Alta e Sofia na lista do Património Mundial da Humanidade, o reitor convida à participação de todos na iniciativa "Coimbra em Festa", a decorrer na Praça do Comércio, na Baixa de Coimbra, a partir das 16h00 de domingo.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros considerou hoje que a classificação de Coimbra como património mundial da UNESCO beneficiará "a economia, o turismo, o conhecimento e o cosmopolitismo" da cidade, mas também é "muito prestigiante" para Portugal.

"É um grande dia para Portugal e para Coimbra. A meritória candidatura a património mundial passou com brilho e beneficiará" a cidade em várias áreas, afirmou Paulo Portas numa declaração escrita enviada à agência Lusa.

A comissão do património mundial da UNESCO, que se reúne na 37ª sessão anual no Camboja, deve analisar, ao todo, a inscrição de 31 locais naturais e culturais na lista do património mundial.

Esta manhã, a UNESCO inscreveu na lista o monte Fuji, um dos símbolos mais conhecidos do Japão, na lista do património mundial. Com 3776 metros de altura, o monte Fuji "inspirou artistas e poetas  e tem sido objeto de peregrinação durante séculos", assinalou a UNESCO. 
 

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.