APAVT compensa clientes prejudicados pela greve de 27 de agosto nos aeroportos

| Economia

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) anunciou hoje que irá compensar em cerca de 500 mil euros os clientes prejudicados pela greve no mês passado dos trabalhadores que fazem a segurança dos aeroportos portugueses.

"Esta compensação, pelo elevadíssimo montante global que representa, na ordem do meio milhão de euros, será levada a cabo através da emissão de `vouchers` [vales] em nome dos clientes afetados, no exato montante não utilizado, que estes poderão utilizar, no prazo de um ano, única e exclusivamente nas agências de viagens onde originalmente adquiriram os respetivos serviços", explica a associação em comunicado.

Na origem da decisão da APVAT e dos seus operadores turísticos estiveram "os efeitos devastadores" da greve de 27 de agosto nos aeroportos nacionais dos trabalhadores da Prossegur e da Securitas.

"Apesar de todos termos a consciência de que esta contrapartida não é legalmente exigível aos operadores turísticos e às agências de viagens, a magnitude do problema, a defesa intransigente dos interesses dos viajantes e a própria credibilidade do setor, levaram a que a APAVT e o seu capítulo de operadores tivessem decidido por esta solução", refere o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, citado na nota.

A APAVT congratula-se pelo "elevado sentido de responsabilidade" dos operadores turísticos que a integram e que a acompanharam nesta solução, que considera permitir "o reforço da confiança no setor da operação e distribuição, sublinha o poder de autorregulação e o sentido de responsabilidade da iniciativa privada".

Os trabalhadores da Prosegur e da Securitas, que fazem o controlo raio-x de bagagem de mão, passageiros e funcionários dos aeroportos, cumpriram no dia 27 de agosto uma greve de 24 horas, marcada após mais de nove meses de negociações entre o sindicato e a Associação de Empresas de Segurança para a celebração de um novo contrato coletivo de trabalho.

A paralisação afetou sobretudo o aeroporto de Lisboa, segundo disse à agência Lusa fonte da ANA -- Aeroportos de Portugal.

Tópicos:

Agências,

A informação mais vista

+ Em Foco

Mariana Mortágua critica a postura do PCP na polémica do novo imposto sobre o imobiliário. A deputada do BE diz que os comunistas deviam criticar a direita.

O ministro da Defesa considera "absurda" a ideia de vir a retirar a confiança às chefias militares, uma vez concluído o relatório sobre os Comandos.

"Luto contra eles e corto-lhes as cabeças. Cozinho-as e queimo os corpos", diz Wahida Mohammed com orgulho.

Uma rubrica do site da RTP e do Jornal 2 dentro do contexto evocativo do centenário da Grande Guerra. Será emitida todas as segundas-feiras.