Câmara do Fundão vai criar Centro de Demonstração e Experimentação "Smart Rural"

| Economia

A Câmara do Fundão vai criar o Centro de Demonstração e Experimentação "Smart Rural", destinado a empresas que desenvolvam soluções no âmbito da internet para a componente agrícola, disse à agência Lusa o presidente do município, Paulo Fernandes.

"Será um parque de demonstração de internet das coisas e robótica, associado um pouco ao que é a filosofia das `smart cities`, mas destinado à componente agrícola e rural. Ou seja, será um centro onde as empresas podem demonstrar, explicar e apresentar os seus novos serviços e produtos, isto em contexto real", referiu.

O autarca especificou que o novo centro começará a ser instalado a partir de janeiro e que ficará no Seminário do Fundão, propriedade que inclui cerca de 20 hectares de terreno.

Para o efeito, a autarquia já propôs um acordo à Diocese da Guarda (proprietária do espaço) que visa o arrendamento por 25 anos de grande parte do edifício e de toda a área adjacente.

Terrenos que serão disponibilizado às empresas ligadas à internet das coisas e robótica para que aí possam desenvolver a sua atividade aplicada ao meio rural e agrícola.

"A ideia é que essas empresas possam ter no Fundão um polo de criação e de desenvolvimento das novas soluções que tenham ou estejam a criar", apontou o presidente deste município do distrito de Castelo Branco.

Lembrando que o concelho do Fundão tem uma importante atividade nos setores agrícola e agroalimentar, Paulo Fernandes destacou a relevância que este centro pode ter para o desenvolvimento dessas áreas, bem como para a continuidade da estratégia de atração de empresas de novas tecnologias que este município tem seguido.

Desta forma, o concelho "poderá atrair mais empresas, nomeadamente `startup` que estejam a apostar em soluções tecnológicas", ao mesmo tempo que está a contribuir para "resolver uma das maiores dificuldades que estas empresas enfrentam, que é a de terem um espaço".

Paulo Fernandes adiantou que a autarquia já está a estabelecer contactos para dar a conhecer este projeto às empresas nacionais e internacionais e que o "feedback" tem sido positivo.

O autarca não revela quais são as empresas que manifestaram interesse, mas lembra que haverá vários projetos que teriam lugar neste centro, como seria o caso de uma empresa que estivesse, por exemplo, a desenvolver um sistema de rega inteligente para pomares ou a criar sensores para deteção de pragas ou até uma nova geração de máquinas agrícolas para a mecanização de apanha de frutos, entre tantas outras possibilidades.

Tópicos:

Câa, Demonstração, Seminário,

A informação mais vista

+ Em Foco

Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

    Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

      A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.