Bataclan cantou "liberdade" em português com Resistência

| Mundo

O grupo português Resistência encheu o Bataclan
|

A sala de espetáculos Bataclan, em Paris, encheu-se para ouvir o grupo Resistência, com o cantor Miguel Ângelo a afirmar "Je suis Paris" e a justificar a presença do grupo no palco, como prova de que é preciso ser livre e "não ter medo".

A frase "Je suis Paris", em referência ao `slogan` que correu mundo depois dos atentados na capital francesa, surgiu no final da canção "Liberdade", em que a sala entoou "Canta liberdade, alto e sem medo".

Momentos antes, Miguel Ângelo afirmou: "A próxima canção diz que a liberdade está quase perdida. A nossa vinda aqui esta noite e a nossa celebração mostra o contrário. A liberdade continua nossa. Podemos ir ver concertos, ir ver jogos de futebol, andar de metro, sermos livres e não termos medo."

Mas foi com um "Bonsoir Paris, Bonsoir Portugal" que os músicos abriram o concerto, mediante sala cheia, muitos aplausos, muitos telemóveis a filmar e, pelo menos, duas bandeiras portuguesa no meio da multidão.

Cerca de 1700 pessoas encheram a sala, segundo as contas da associação de jovens Cap Magellan - que organizou o concerto, no âmbito do 25.º aniversário - e entoaram a primeira música, "Nasce Selvagem", cantando em coro "mais do que um partido, uma equipa ou religião, tu pertences a ti, não és de ninguém".

Seguiram-se muitos aplausos e Miguel Ângelo afirmou: "É muito bom estar de volta, de regresso a Paris! É muito bom estar na festa dos 25 anos da Cap Magellan. É muito bom estar nesta festa de música ao vivo. É muito bom estar no Bataclan!"

A sala ecoou outros êxitos dos Resistência como "A Noite", "Não sou o único", "Vai sem medo", "Timor", "Amanhã é sempre longe de mais", "Aquele Inverno", "Circo de feras" e "Um lugar ao sol", entre muitas outras canções.

Um concerto acompanhado em direto pela correspondente da RTP em Paris, Rosário Salgueiro.

(com Lusa)

Tópicos:

Bataclan, Colaço, Câa, Gerais, Lúcia, Resistência, Stade,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 9 de abril de 1918, a ofensiva alemã varre a resistência portuguesa. O dossier que se segue lança um olhar sobre o antes, o durante e o depois.

    O Reino Unido está a sobrevalorizar o seu valor como parceiro comercial e vai "sofrer um desastre com o Brexit", alerta Mark Beeson.

    Em abril, uma cimeira histórica entre Coreias reaproximou dois países de costas voltadas há mais de 60 anos. O que esperar do futuro?

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.