Condecorado britânico que salvou centenas de crianças judias de campos de extermínio

| Mundo

Um britânico que salvou 699 crianças checoslovacas judias de serem enviadas para os campos de extermínio nazis, no país, pouco antes da II Guerra Mundial, recebeu terça-feira a condecoração mais importante da República Checa.

Sir Nicholas Winton, com 98 anos, que já havia recebido, em 1998, a Ordem de Tomas Garrigye Masaryk, foi condecorado com a Cruz de Mérito de primeira classe pelo ministro checo da Defesa, Vlasta Parkanova.

Winton evitou que as crianças fossem mortas ao organizar ligações ferroviárias entre Praga e Londres.

"Estou absolutamente surpreso que isto aconteça por algo que fiz quando a maioria de vocês ainda não era nascida", afirmou durante a cerimónia enquanto agradecia aos presentes.

No total, o britânico conseguiu transportar oito comboios cheios, na sua maioria, por crianças judias que se deslocaram para Inglaterra e, um número mais pequeno, para a Suécia onde foram acolhidas por famílias locais.

"Os meus pais morreram em Auschwitz (campo de extermínio)", disse Asaf Auerbasch, 79 anos.

Asaf, que foi uma das crianças salvas por Winston, acrescentou que "é importante que não se esqueça o que aconteceu".

A história de Sir Nicholas Winston só foi conhecida em 1988, quando a sua mulher encontrou correspondência que referia os eventos antes da guerra.

Em 2002, o primeiro-ministro Tony Blair classificou-o como o "Schindler britânico", numa referência ao empresário Oskar Schindler que também salvou a vida de judeus durante a guerra e cuja acção deu origem a um filme de Steven Spielberg que, em 1993, obteve vários Óscares.

Um filme que documentou o heroísmo de Winston, "Nicholas Winston - The Power of Good", foi galardoado, em 2002, com um Emmy internacional.

O ministro checo dos Negócios Estrangeiros, Karel Schwarzenberg, disse terça-feira que planeia nomear o britânico para o Prémio Nobel da Paz.


A informação mais vista

+ Em Foco

A fronteira entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda continua a ser a maior dor de cabeça interna de Theresa May.

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.