Guterres: crise de refugiados, o desafio "mais dramático" da atualidade

| Mundo

António Guterres está esta terça-feira na conferência Vision Europe Summit, que decorre na Gulbenkian
|

O secretário-geral designado das Nações Unidas alerta que o problema “está a espalhar-se como um vírus” e aponta o dedo às enormes falhas do sistema internacional de proteção de refugiados. António Guterres diz mesmo que a “agenda da soberania nacional” tem prevalecido sobre “a agenda dos Direitos Humanos”.

António Guterres acredita o mundo está a viver o maior desafio de sempre com a crise dos refugiados. Para quem parte, como para quem recebe fluxos migratórios, há riscos inerentes que, em diferentes níveis, deixam todos sob ameaça.

Num debate internacional sobre a crise dos refugiados, o Vision Europe Summit, que decorreu esta terça-feira na Gulbenkian, Guterres defendeu que é crucial "restabelecer a integridade do sistema internacional de proteção" de refugiados, incluindo uma gestão de fronteiras "sensível às necessidades das pessoas".


António Guterres estranhou também que se gaste mais dinheiro a combater o tráfico de droga do que o de vidas humanas. A ausência de "mecanismos globais" só tem beneficiado traficantes e criminosos, que são hoje "corporações multinacionais", considera.

Na visão do próximo secretário-geral da ONU, as migrações "são inevitáveis" e, com elas, as sociedades serão inevitavelmente "multiétnicas, multirreligiosas e multiculturais".

A posição dos governos deve, por isso, passar por gerir a “riqueza” da diversidade e firmar um sentimento de pertença, o que implica um "forte investimento", político, económico, social, cultural, de Estados, autarquias, sociedades civis.

O secretário-geral indigitado das Nações Unidas, que ocupou durante dez anos o cargo de alto comissário para os Refugiados, destacou os riscos da mobilidade forçada, o tráfico de pessoas, e em particular o tráfico de menores.

António Guterres alertou ainda para o perigo dos governantes elegeram o populismo em detrimento dos valores e princípios.

Referindo-se aos recentes resultados de eleições e referendos, Guterres reconheceu a "grave deterioração nas opiniões públicas do mundo" sobre as migrações. "Os refugiados transformaram-se numa ameaça", lamentou.

"Se não investirmos na diversidade, seremos surpreendidos por mais dos que certos resultados eleitorais, pois os valores que temos e a segurança global serão postos em causa", alertou o secretário-geral da ONU.

c/ agências

Tópicos:

Migrações, ONY, Refugiados, António Guterres,

A informação mais vista

+ Em Foco

O verão acabou e com ele as horas de lazer nas praias. Mas a presença humana nestes locais ainda se faz sentir.

    A Coreia do Norte continua a desafiar o mundo com testes de mísseis balísticos e armas nucleares.

    Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.