ONU alerta que 16 mil civis de Alepo procuram "desesperadamente" refúgio

| Mundo

|

Cerca de 16 mil civis que viviam na zona oriental de Alepo, reconquistada pelas forças governamentais, procuram "desesperadamente" refúgio em áreas mais seguras, disse hoje o responsável da ONU para Assuntos Humanitários.

"Relatórios preliminares indicam que 16 mil pessoas encontram-se neste momento deslocadas e muitas delas em situação precária. O número vai aumentar se os combates continuarem nos próximos dias", alertou Stephan O`Brien através de um comunicado.

As forças de Damasco recuperaram 30 por cento do território de Alepo oriental controlado por forças rebeldes há quase quatro anos.

O ministro dos Negócios Estrangeiros francês já pediu hoje uma reunião urgente do Conselho de Segurança das Nações Unidas para debater a "catástrofe humanitária" em Alepo e estudar a forma de enviar meios de socorro para o terreno.

Tópicos:

Alepo, Stephan,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.