ONU alerta que 16 mil civis de Alepo procuram "desesperadamente" refúgio

| Mundo

|

Cerca de 16 mil civis que viviam na zona oriental de Alepo, reconquistada pelas forças governamentais, procuram "desesperadamente" refúgio em áreas mais seguras, disse hoje o responsável da ONU para Assuntos Humanitários.

"Relatórios preliminares indicam que 16 mil pessoas encontram-se neste momento deslocadas e muitas delas em situação precária. O número vai aumentar se os combates continuarem nos próximos dias", alertou Stephan O`Brien através de um comunicado.

As forças de Damasco recuperaram 30 por cento do território de Alepo oriental controlado por forças rebeldes há quase quatro anos.

O ministro dos Negócios Estrangeiros francês já pediu hoje uma reunião urgente do Conselho de Segurança das Nações Unidas para debater a "catástrofe humanitária" em Alepo e estudar a forma de enviar meios de socorro para o terreno.

Tópicos:

Alepo, Stephan,

A informação mais vista

+ Em Foco

A causa do incêndio do Pedrogão Grande terá sido uma linha elétrica de média tensão. Esta é uma das principais conclusões do relatório que o professor Xavier Viegas entregou ao Governo.

Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

    Mário Centeno também deixou no ar a ideia de que, na discussão da especialidade do OE2018, seja posto um ponto final nos cortes do subsídio de desemprego.

    Os governos espanhol e catalão além de estarem de costas voltadas entrincheiraram-se em narrativas de auto-justificação absolutamente incompatíveis entre si.