Associação `Raríssimas` ganha Prémio Manuel António da Mota 2016

| País

O Presidente da República entregou hoje no Porto o Prémio Manuel António da Mota, no valor de 50 mil euros, à Raríssimas -- Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras.

A Raríssimas foi criada em 2002, tem a sede em Lisboa, e tem por missão "apoiar doentes e famílias que convivem de perto com as doenças raras, procurando entre outros objetivos a divulgação, informação e sensibilização pública sobre as doenças raras.

Com o seu "Espaço de Capacitação Rara", a instituição vencedora do primeiro prémio desenvolve um projeto de "coaching e mentoring, apoio à capacitação e empregabilidade e um conjunto de ações de sensibilização e informação procurando, no primeiro eixo, a promoção da melhoria da qualidade de vida através de um programa individualizado de intervenção".

A Associação Inspirar recebeu o terceiro prémio Manuel António da Mota, no valor de 10 mil euros, enquanto o segundo prémio Manuel António da Mota foi entregue à SAOM -- Serviços de Assistência Organizações de Maria -, no valor de 25 mil euros.

"É bom que haja prémios como este, porque são, em si mesmo, pedagógicos para projetos de Solidariedade Social que todos os dias nascem ou se reformulam", disse Marcelo Rebelo de Sousa, afirmando que o "Presidente da República de Portugal está eternamente grato" a instituições de Solidariedade Social.

Tópicos:

Deficiências Mentais Raras, Mota,

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.