Associação `Raríssimas` ganha Prémio Manuel António da Mota 2016

| País

O Presidente da República entregou hoje no Porto o Prémio Manuel António da Mota, no valor de 50 mil euros, à Raríssimas -- Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras.

A Raríssimas foi criada em 2002, tem a sede em Lisboa, e tem por missão "apoiar doentes e famílias que convivem de perto com as doenças raras, procurando entre outros objetivos a divulgação, informação e sensibilização pública sobre as doenças raras.

Com o seu "Espaço de Capacitação Rara", a instituição vencedora do primeiro prémio desenvolve um projeto de "coaching e mentoring, apoio à capacitação e empregabilidade e um conjunto de ações de sensibilização e informação procurando, no primeiro eixo, a promoção da melhoria da qualidade de vida através de um programa individualizado de intervenção".

A Associação Inspirar recebeu o terceiro prémio Manuel António da Mota, no valor de 10 mil euros, enquanto o segundo prémio Manuel António da Mota foi entregue à SAOM -- Serviços de Assistência Organizações de Maria -, no valor de 25 mil euros.

"É bom que haja prémios como este, porque são, em si mesmo, pedagógicos para projetos de Solidariedade Social que todos os dias nascem ou se reformulam", disse Marcelo Rebelo de Sousa, afirmando que o "Presidente da República de Portugal está eternamente grato" a instituições de Solidariedade Social.

Tópicos:

Deficiências Mentais Raras, Mota,

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.