O regresso de Alberto Costa ao Governo, agora para a Justiça

| País

Alberto Costa, 57 anos, já com uma anterior experiência governativa como ministro da Administração Interna, volta agora ao executivo, mas para ocupar uma pasta mais directamente ligada à sua preparação académica: a Justiça.

Licenciado pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, onde também foi professor, Alberto Bernardes Costa estudou também na École Pratique d+Hautes Études, em Paris.

Além da Faculdade de Direito, Alberto Costa leccionou mo Instituto Superior de Economia (Direito Económico) entre 1976 e 1986.

O novo Ministro da Justiça inscreveu-se na Ordem dos Advogados em 1974 e em 1986 integrou os corpos dirigentes do respectivo Conselho Distrital, participando como delegado da classe nos congressos da Ordem realizados nos últimos 30 anos.

Casado com a professora Maria da Encarnação Trindade Lopes e pai de três filhos, Jaime, Joana e Inês, Alberto Costa nasceu em Évora de Alcobaça, distrito de Leiria, a 16 de Agosto de 1947, numa família de origem rural.

Alberto Costa tem um longo historial de oposição à ditadura de Salazar e Caetano, tendo sido dirigente estudantil na crise académica de 1968/1969.

Proposto como candidato pelas listas da Oposição Democrática de Leiria em 1969, viu a sua integração rejeitada pelo governo de Marcelo Caetano em virtude das informações da PIDE/DGS.

Foi militante do PCP entre 1967 e 1970, mantendo-se como independente até 1985, ano em que aderiu ao PS.

Em 1971 foi preso pela polícia política da ditadura e excluído da frequência de todas as universidades portuguesas.

Dois anos mais tarde, participou no Congresso da Oposição Democrática realizado em Aveiro, o que lhe valeu ser mobilizado para cumprir serviço militar em Angola sob regime disciplinar.

No entanto, na data do embarque, conseguiu fugir para França, onde lhe foi concedido o estatuto de exilado político.

Na década de oitenta, como deputado do PS, Alberto Costa foi um dos especialistas parlamentares em temas de justiça e de polícia, em confronto frequente com Dias Loureiro e o restante governo de Cavaco Silva.

Dirigente do PS desde 1988, foi Ministro da Administração Interna no primeiro governo de António Guterres, de Outubro de 1995 a Novembro de 1997.

Foi um dos representantes do parlamento português na Convenção que preparou a reforma das instituições europeias.

Alberto Costa é ainda autor de vários estudos sobre matérias jurídicas e políticas publicados em revistas nacionais e estrangeiras.

A informação mais vista

+ Em Foco

Várias organizações de defesa dos Direitos Humanos exigem uma investigação rigorosa.

A morte do advogado foi conhecida há dois anos, no Natal, mas existem vários indícios de que a possa ter simulado.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.