Resultados da terceira fase elevam para 45.367 o número de colocados no Ensino Superior

| País

|

A terceira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior público permitiu a colocação de mais 1.555 estudantes nas universidades e politécnicos. No total das três fases, 45.367 alunos entraram no ensino superior, um aumento de 2,2 por cento face ao ano anterior.

Os dados da Direção-Geral do Ensino Superior revelam que houve 56.001 candidatos ao Ensino Superior nas diferentes fases de acesso. Um número que representa um aumento de 3,6 por cento face aos 54.079 que se apresentaram a concurso em 2015.Consulte aqui os resultados e médias da terceira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior.

Nesta terceira fase, um aluno entrou no curso de Engenharia Aeroespacial do Instituto Superior Técnico com média de 18,8.

Ainda no Técnico, médias superiores a 18 permitiram ocupar as únicas vagas disponíveis nos cursos de Engenharia Biológica, Engenharia Física Tecnológica, Engenharia Biomédica e Matemática Aplicada e Computação.

Na primeira fase, os cursos de Engenharia Física Tecnológica e Engenharia Aeroespacial, ambos do Instituto Superior Técnico, foram aqueles em que a média do último colocado foi mais elevada (18,53).
3.483 vagas em 382 cursos
A única vaga disponível no curso de Medicina da Universidade da Beira Interior foi ocupada por um aluno com média de 18,7. Médias superiores a 18 permitiram ainda a dois alunos ocupar os únicos lugares disponíveis em Medicina Dentária na Universidade de Coimbra e Ciências do Meio Aquático na Universidade do Porto.

Concluídas as três fases de acesso ao ensino superior, há ainda 3.483 lugares em 382 cursos disponíveis. Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, no Instituto Politécnico de Setúbal, com 41 vagas, é aquele que mais vagas tem por ocupar.

Na nota enviada à comunicação social, a DGES aponta que os estudantes agora colocados devem fazer a matrícula e a inscrição entre 14 e 18 de outubro.

Tópicos:

Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, Médias, Politécnico, Resultados, Terceira Fase, Universidade,

A informação mais vista

+ Em Foco

Passaram sete anos desde o início das “Primaveras Árabes”. Regimes mudaram, guerras civis rebentaram, houve conflitos que alteraram dinâmicas regionais e vazios de poder que deram origem a Estados falhados.

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.