Empresa de deputado socialista tinha morada fiscal em cabeleireiro

por Joana Machado, Hermano Soares, Fernando Andrade, Paulo Lourenço, Paulo Nunes

Um deputado do PS corrigiu o registo de interesses no Parlamento depois de o Sexta às 9 o ter confrontado com várias falhas. Paulo Marques escreveu que tinha deixado de ser gerente de uma empresa com dívidas de mais de 14 mil euros ao Estado, mas afinal ainda continua a ser.

Além disso, este deputado, que se estreou em dezembro no parlamento, assinou vários contratos duvidosos com juntas de freguesia do PS, atraves de outra empresa, sem dívidas.

Três meses depois de ter entrado no Parlamento, Paulo Marques vendeu as quotas das duas empresas a uma septuagenária, ex-funcionária pública, que nunca conseguimos localizar.

Este caso foi detetado pouco depois do Conselho da Europa ter avisado Portugal que o parlamento confia demasiado na palavra dos deputados.