Em 1918 submarino alemão filmou navio português a ser afundado

| Portugal na I Grande Guerra
Em 1918 submarino alemão filmou navio português a ser afundado

A ver: Em 1918 submarino alemão filmou navio português a ser afundado

O caça-minas português "Augusto Castilho" escoltava o navio mercante "S. Miguel" em 14 de Outubro de 1918, quando este foi atacado pelo submarino alemão U-139. O caça-minas, sob o comando de Carvalho Araújo, tentou combater o poder de fogo superior do submarino e, finalmente, protegeu o "S. Miguel" interpondo-se entre ele e o navio atacante, e dando-lhe tempo para ficar fora do alcance deste. Após duas horas de combate, com as máquinas inutilizadas, o "Augusto Castilho" rendeu-se. O comandante Carvalho Araújo foi morto por um último tiro do submarino.

A partir deste momento, o submarino alemão registou os acontecimentos em filme, legendado para sublinhar a humanidade dos vencedores: o médico alemão assistiu os feridos portugueses e estes puderam embarcar em dois pequenos salva-vidas que dois dias depois atingiram Santa Maria, nos Açores, com 35 sobreviventes. Um ferido sucumbira durante a jornada.

O filme mostra também como marinheiros do submarino vão a bordo do caça-minas para retirar munições e mantimentos e como, depois, o afundam detonando explosivos colocados a bordo e disparando contra o navio na linha de água. Os alemães homenagearam ainda o comandante e outros tripulantes do "Augusto Castilho" mortos na refrega, lançando-os ao mar envolvidos na bandeira portuguesa.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

      Sem possibilidade de receber os ordenados em euros ou de pagar as contas em Portugal, muitos recorrem ao mercado negro para trocar dinheiro.

      É portuguesa a única equipa do mundo que faz o despiste genético de cancro do estômago. Os investigadores viram agora renovado o financiamento.