Mobilização para a Guerra

Apresados os navios alemães nos portos portugueses, a Alemanha declara guerra a Portugal. O país unifica-se e mobiliza-se – são recrutados todos os portugueses entre os 20 e os 45 anos, sem exceção –, a prolífica imprensa da altura ora cria discursos inflamados, ora caricaturas a partir da atualidade.

Recrutas
Fotografia de Joshua Benoliel cedida pelo Arquivo Histórico Militar
| Portugal na I Grande Guerra


Antes de entrar em ação o lápis azul da censura, a imprensa utiliza o humor para críticas mordazes com brejeirices à mistura – são as manobras possíveis na altura.

Jornal O Zé cedido pela Hemeroteca Municipal de Lisboa

A 24 de maio de 1916, Norton de Matos, ministro da Guerra, ordena o recenseamento militar a todos os cidadãos com idades compreendidas entre os 20 e os 45 anos; 80% daqueles que viriam a constituir o Corpo Expedicionário eram soldados.




Fotografia de Joshua Benoliel cedida pelo Arquivo Histórico Militar

Num Portugal em que quase três quartos da população era ainda analfabeta e 60% dos habitantes retiravam sustento do sector agrícola, sendo a maioria pequenos camponeses e rendeiros, inflama-se o discurso patriótico, enaltece-se a raça viril e civilizadora e glorifica-se a raça latina, a Pátria ditosa.


Jornal O Mundo cedido pela Biblioteca Nacional de Portugal


Ver completo
Jornal Miau cedido pela Hemeroteca Nacional de Lisboa

Apela-se à união e ao esforço nacional contra o Imperialismo alemão, contra o bárbaro, o Papão.


 Postal cedido por Professor António Ventura

E o postal, tal instagram ou correio eletrónico da época, torna-se veículo de propaganda patriótica. Colorido com fio de seda ou ilustrado, o pequeno formato torna-se pop, espalha ideias e imagens, propaga-se, multiplica o discurso, cresce – durante a Grande Guerra circulam mais de 70 milhões de exemplares por ano. Exaltam-se os países aliados, as velhas alianças. Erguem-se e desfraldam-se bandeiras.




A informação mais vista

+ Em Foco

Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

    Entrevista Olhar o Mundo a um dos autores e investigadores militares mais reconhecidos do mundo anglo-saxónico.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.